Waymo diz que a sua tecnologia lidaria com o incidente da Uber

Inovação

O diretor da Waymo disse no último sábado que a tecnologia da empresa teria assegurado a situação que envolveu um veículo autónomo da Uber e uma pedestre.

O diretor da unidade de condução autónoma da Alphabet, a Waymo, disse no último sábado que a tecnologia da empresa teria assegurado a situação que envolveu um veículo autónomo da Uber e uma pedestre.

O CEO da Waymo, John Krafcik, explicou a concessionários automóveis numa reunião da National Automobile Dealers Association, em Las Vegas, que a empresa estava a caminho do seu objetivo de reduzir as mortes de veículos automóveis.

“Na Waymo, temos muita confiança de que nossa tecnologia seria capaz de lidar com uma situação como essa”, disse Krafcik, referindo-se a um cenário em que um pedestre atravessa a rua à noite.

A colisão fatal a 18 de março em Tempe, Arizona, levantou questões sobre a segurança da tecnologia autónoma em geral, e especificamente do sistema da Uber, dos quais poucos detalhes são ainda conhecidos.

Uma investigação da polícia e dos órgãos reguladores de segurança federais dos Estados Unidos ainda está em andamento. O acidente, no qual um veículo de teste Uber que estava a ser conduzido em modo autónomo, atingiu um pedestre durante a noite enquanto caminhava por uma pista de quatro faixas com a sua bicicleta.

Tendo trabalhado em carros autónomos desde 2009 e com 8 milhões de quilômetros percorridos em estradas públicas, a Waymo é geralmente considerada como estando à frente dos rivais no desenvolvimento da tecnologia de veículos autónomos.

A empresa planeia lançar um serviço para os passageiros nos próximos meses na área de Phoenix, oferecendo passeios num carro Waymo totalmente autónomo, sem motorista.

As empresas que desenvolvem tecnologia autónoma, que também incluem a General Motors, a Toyota e uma série de startups, estão à espera para ver se este acidente levará a novas restrições num setor que está relativamente pouco regulamentado.