Venda de bens tecnológicos cai 18%

Negócios

Na semana em que foi decretado o estado de emergência em Portugal, a venda de bens tecnológicos teve uma queda abrupta de 18% no mercado nacional, revela a análise da GfK. À medida que o Covid-19 se alastra globalmente, os consumidores portugueses adaptam-se a uma nova realidade, centrada em teletrabalho e distanciamento social, o que

Na semana em que foi decretado o estado de emergência em Portugal, a venda de bens tecnológicos teve uma queda abrupta de 18% no mercado nacional, revela a análise da GfK. À medida que o Covid-19 se alastra globalmente, os consumidores portugueses adaptam-se a uma nova realidade, centrada em teletrabalho e distanciamento social, o que afetou as vendas de imediato, de 16 a 23 de março, em comparação com a semana homóloga do ano passado.

Contrariando esta tendência, as categorias relacionadas com Home Office registaram elevadas subidas nas vendas, nomeadamente em impressoras multifuncionais (+231%) e computadores portáteis (+62%). No segmento dos pequenos eletrodomésticos, também as máquinas de café registaram performance muito positiva ao registarem um aumento das vendas na ordem dos 46%.

Embora seja difícil prever o efeito total do vírus no mercado, a distância social afetará certamente o total de vendas. No entanto, há uma janela de oportunidade a explorar através do comércio online, que na semana em análise apresentou um crescimento de mais de 80%, como resultado da experimentação de novas formas de compra.

Os dados fazem parte do Painel Retalhista GfK, que analisa semanalmente as vendas dos principais retalhistas no mercado português, considerando os principais produtos de Eletrónica de Consumo, Informática, Grandes e Pequenos Domésticos, Fotografia e Telecom.