Mercer

Maioria dos executivos indica tecnologia no local de trabalho como a tendência para próximos dois anos

De acordo com o 2017 Global Talent Trends Study, da Mercer, cerca de 93% das empresas em todo o mundo admitem estar a planear um redesenho da sua estrutura nos próximos dois anos. Contudo, apenas 4% dos executivos admitem que a sua organização é “ágil face à mudança.” O relatório faz previsões sobre as principais tendências de operatividade, no que diz respeito ao contexto empresarial.

Consultamos o nosso smartphone 150 vezes por dia, indica estudo

Um estudo da Mercer intitulado A Workforce Tsunami is Approaching, verificou as alterações pelas quais a força de trabalho passa atualmente. Os dados recolhidos revelam que os colaboradores passam cerca de um quarto do dia em dispositivos móveis, verificando-os cerca de 150 vezes. O mesmo relatório confirma que 57% das interrupções são causadas pela alternância entre aplicações, sendo que cada colaborador demora cerca de 23 minutos a voltar a concentrar-se nas suas tarefas.

Acionistas influenciam remuneração dos executivos de topo

Os fatores de desempenho mais utilizados no modelo de bónus dos Administradores Executivos são os resultados da empresa (83%), seguindo-se o desempenho individual/resultados não financeiros (67%) e os resultados da divisão/unidade de negócio (58%), diz estudo da Mercer.

Estudo desenvolvido pelo World Economic Fórum conta com apoio da Mercer

O mais recente “Human Capital Report” desenvolvido pelo World Economic Forum, com o apoio da Mercer, revela que os países ainda estão longe de valorizar o desenvolvimento dos talentos das pessoas no sentido de alcançarem o seu potencial máximo de capital humano. Os países mais ricos, com sistemas de educação bem desenvolvidos e com condições de emprego mais sólidas não fogem à regra. Integrado no “Human Capital Report” encontra-se o “Human Capital Index”, um estudo realizado em 124 países que analisa 46 indicadores de desenvolvimento humano.

29 por cento das empresas de “high-tech” quer contratar

No mercado português, são mais as empresas que pretendem aumentar o número de colaboradores do que aquelas que estão a pensar em despedir funcionários. Esta é uma das conclusões de um estudo realizado pela Mercer, empresa de serviços de consultoria.