GCHQ

NSA mina o software da Kaspersky

A Agência Nacional de Segurança (NSA) e a britânica GCHQ aplicaram técnicas de engenharia aos softwares de diversas entidades informáticas, nomeadamente, da Kaspersky Labs, com sede na Rússia.

Gemalto diz que poderá ter sido vítima de espionagem informática

A Gemalto junta-se ao jornal The Intercept nas suspeitas relativas a possíveis ataques de espionagem informática com o objetivo de roubar dados de telecomunicações. Ainda assim, a empresa garante que as informações dos utilizadores não terão sido comprometidas. Na última semana, documentos confidenciais levados a público indicavam que a Gemalto poderia ter sido atingida por

Chips da Gemalto podem ter sido comprometidos

A Gemalto disse que está a investigar uma possível quebra de segurança dos seus chips para cartões SIM. De acordo com a fabricante holandesa, cujas suspeitas se baseiam em documentos fornecidos por Edward Snowden, ciberespiões norte-americanos e britânicos podem ter estado envolvidos no roubo das chaves de encriptação que protegem os chips e que visam assegurar

GCHQ acusada de não partilhar informação com agências dos EUA

A agência britânica de inteligência e vigilância GCHQ foi acusada de falta de transparência para com os homólogos norte-americanos. O Tribunal de Competências de Investigação (IPT) acusou oficialmente a GCHQ de partilhar pouca informação com as agências dos Estados Unidos. De acordo com informações adiantadas pelo Business Insider, o IPT disse que a agência de

Fornecedoras de serviços de Internet aliam-se contra a GCHQ

Uma vez mais a infame agência de inteligência britânica GCHQ encontra-se sob o foco da polémica, depois de uma série de fornecedoras de serviços de Internet de vários países, aliadas a organizações defensoras da privacidade dos utilizadores, terem submetido queixas legais contra a entidade governamental, acusando-a de monitorização ilegítima de comunicações e de recolha não-consensual

GCHQ vai revelar dados confidenciais a empresas britânicas

A agência de inteligência britânica GCHQ anunciou que vai dar início a um programa de divulgação de dados confidenciais relativos a ameaças cibernéticas que se traduzirá na partilha dessas informações classificadas com as grandes empresas do Reino Unido, uma medida que intenta reforçar a proteção dos sistemas do país, tornando-os mais seguros e resistentes face

Serão as agências de inteligência os novos cibercriminosos?

Cada vez mais se torna evidente que os governos estão mais interessados em monitorizar os próprios cidadãos do que em realizar legítimas práticas de vigilância que visem assegurar a proteção dos mesmos.  Desta forma, uma organização defensora das liberdades dos cidadãos submeteu hoje um processo que acusa a agência de inteligência britânica GCHQ de infetar

Blunkett e Omand criticam práticas da GCHQ

O antigo Ministro do Interior David Blunkett e o ex-diretor da Government Communications Headquarters (GCHQ) David Omand disseram que a agência britânica peca pela falta de transparência para com os cidadãos que supostamente protege. Uma vez mais a GCHQ é alvo de críticas, desta vez por parte do seu próprio ex-diretor e do antigo Ministro

Snowden obteve dados utilizando o software mais simples

O homem por detrás das polémicas fugas de informação relativas à enorme vigilância levada a cabo pela Agência de Segurança Nacional (NSA) e pelo Quartel-General de Comunicações Governamentais britânico (GCHQ), usou web crawlers acessíveis a todo o público para adquirir dados pretendidos pelas entidades de inteligência norte-americanas. A capacidade da NSA para prevenir ataques aos

Agência britânica de inteligência ataca Anonymous

A agência de inteligência britânica GCHQ (Government Communications Headquarters) atingiu a Anonymous com uma técnica de ataque DoS (Denial of Service), segundo uma recente fuga de informação por Edward Snowden. A investida visava indisponibilizar os sistemas da associação e, reportando a fontes do NBC News, foi levada a cabo pelo Grupo para Ameaças à Pesquisa de

BT acusada de disseminação de backdoors

A operadora britânica, BT, é acusada de disseminar backdoors. Um documento publicado online explica como a operadora colabora com a GCHQ e a NSA. A BT fornece à agência de inteligência britânica, Government Communications Headquarters, e à National Security Agency,  acesso direto aos dados dos clientes através dos modems de Internet que fornece. Esta acusação