DNS.pt

Claranet lidera no registo de domínios .pt

De acordo com dados oficiais do DNS.pt, a Claranet Soho tornou-se líder no registo de domínios .pt, com mais de 40 mil registos ativos, o que representa cerca de 20 por cento de todos os domínios .pt ativos.

DNS reforça segurança de domínios .pt

A associação DNS.pt, que tem como principal papel a gestão, operação e manutenção do registo do domínio de topo correspondente a Portugal, possui um novo serviço premium de proteção adicional de segurança aos dados associados aos nomes de domínio. O serviço é conhecido por Registry Lock Service e evita alterações, transferências ou remoções não autorizadas.

DNS.PT potencia crescimento dos websites de domínio angolano

A associação DNS.PT assinou um acordo de parceria com o Centro Nacional das Tecnologias da Informação (CNTI) de Angola, que visa operacionalizar a co-gestão do domínio angolano .ao. Sendo responsável pelo registo, gestão e manutenção do domínio .pt e prestando já apoio técnico ao .ao, a DNS.PT passará também a ser responsável pela instalação e

Registo de domínios com dois caracteres já disponível

O DNS.PT, associação responsável pela gestão e operação do ccTLD português, .pt, anuncia que as condições aplicáveis ao registo de domínios com dois caracteres já está disponível em www.dns.pt. Segundo as novas regras relativas ao registo de domínios .pt, apresentadas este ano, a partir de 1 de novembro será retirada a proibição do registo de domínios,

Registo de domínios .PT tem novas regras

O DNS.PT revelou as novas regras de registo de domínios .PT, que entrarão em vigor a partir do próximo dia 16 de Junho. As mudanças surgem na sequência da Associação DNS.PT ter assumido o papel de Registry de .PT, sendo necessário efetuar as alterações formais daí decorrentes. Entre as novas regras, destaque para a adaptação

DNS.pt quer chegar a um milhão de domínios

Em maio de 2013, a DNS.pt passou a gerir os domínios .pt. A meta é, até 2016, chegar ao milhão de registos. Em entrevista ao jornal Público, Luisa Gueifão, diretora da associação, explica que a ideia é “aproximar Portugal das práticas de países como a Holanda ou a Alemanha, onde criar endereços com o chamado