china

China pode ter quebrado acordo de cibersegurança com os EUA

A empresa de cibersegurança CrowdStrike revelou que pelo menos sete servidores de empresas norte-americanas foram alvo de ataques por hackers chineses nas últimas três semanas. Isto aconteceu depois de Obama e Xi Jinping terem assinado um acordo no qual ambos os países se comprometiam a não realizar ciberespionagem para roubar segredos comerciais.

China prendeu hackers suspeitos de atacar empresas norte-americanas

Sem grande aparato e a pedido dos EUA, o governo chinês capturou cibercriminosos nacionais suspeitos de terem roubado e vendido segredos comerciais de empresas norte-americanas. A operação aconteceu em meados de setembro e é vista como uma maneira de atenuar as tensões entre a China e os Estados Unidos, que já ameaçaram Pequim com sanções económicas caso persistam os ciberataques promulgados pelo governo.

Acordo de cibersegurança entre China e EUA olhado com ceticismo

O diretor dos serviços de inteligência norte-americanos encara com ceticismo o acordo estipulado entre Obama e Xi Jinpin, e acredita que pode não ser tão eficaz como desejado no combate à criminalidade cibernética e aos ataques que têm atingido as infraestruturas informáticas dos Estados Unidos.

Obama e Xi Jinping chegam a acordo mas mantêm-se as tensões

Os Presidentes Barak Obama e Xi Jinping vão unir forças para combater a criminalidade cibernética. Mas, apesar do entendimento entre duas das mais fortes potências económicas e tecnológicas mundiais, o Chefe de Estado norte-americano não deixou de sublinhar que os hackers chineses que insistirem em penetrar as defesas cibernéticas dos Estados Unidos não ficarão impunes.

EUA reforçam resposta a ciberataques contra as suas infraestruturas

O governo norte-americano está a considerar aplicar sanções às empresas e particulares que pensa terem estado por detrás dos ciberataques às suas corporações. A China é um dos países que encima a lista de alvos desta “retaliação” de Washington, que surge pouco tempo antes de uma visita oficial do Presidente chinês aos Estados Unidos.

Queda da Bolsa de Xangai não esmorece confiança de Cook na China

O diretor executivo da Apple assegurou os seus investidores de que o negócio da marca na China continua forte e promissor. Num email, Tim Cook mostrou-se confiante de que a Apple crescerá bastante neste mercado asiático, mesmo depois de, esta segunda-feira, as ações terem chegado a cair cerca 13 por cento.

Xiaomi aposta no mercado de smartphones indiano

Se outrora a China era o maior mercado de smartphones do mundo, agora parece estar à beira de perder o título. E a Xiaomi, a maior fabricante destes dispositivos no país, parece ter percebido que o melhor é apostar em mercados mais promissores, como a Índia.

China: quando o gigante dos smartphones começa a encolher

Tudo tem o seu tempo. E o fim da China como rainha do mercado de smartphones parece ter chegado. Em 2011, ganhava o título “maior mercado de smartphones do mundo”. Quatro anos depois, sofria a primeira queda – menos 4,3 por cento de smartphones vendidos no país, no primeiro trimestre deste ano. Apesar de ser uma retração ligeira, já fez tremer os principais fabricantes de smartphones.

Receitas da Huawei crescem 30 por cento na primeira metade do ano

A gigante de equipamentos de telecomunicações chinesa divulgou esta segunda-feira os resultados financeiros para os primeiros seis meses deste ano. Com receitas no valor de 28,3 mil milhões de dólares, a representar um aumento de 30 por cento face ao ano passado, a Huawei parece estar num bom caminho para atingir os objetivos traçados para 2015.

Sucesso da Xiaomi é inspirador

A China não está a conseguir “resistir” ao efeito inspirador que o sucesso da Xiaomi está a ter naquele que é o maior mercado de smartphones do mundo. Segundo a Reuters, são várias os empreendedores, dos mais diversos ramos de atividade, que querem seguir os passos da empresa chinesa.

Uber vira-se para o Oriente com ambições de conquista

A Uber espera angariar mil milhões de dólares numa ronda de investimentos que lhe permitirá fortalecer as suas operações na China. Numa altura em que sofre inúmeros ataques por todo o mundo, a empresa norte-americana vê o mercado chinês com olhos ambiciosos.

Mercado chinês cada vez mais importante para a Apple

O CEO da Apple afirmou que o design de muitos dos seus produtos é condicionado pelos gostos dos consumidores chineses. Com isto, Tim Cook reitera a importância do mercado da China para a marca da maçã mordida.

Cisco quer investir mais de 10 mil milhões na China

A Cisco te planos para investir mais de 10 mil milhões de dólares no mercado. O programa estende-se ao longo dos próximos anos e pretende conquistar o aval das austeras autoridades reguladoras face às operações da empresa norte-americana no país, bem como ganhar território à concorrente local Huawei.

Alibaba lança rival do Netflix no próximo trimestre

A Alibaba vai lançar o seu próprio serviço de streaming de vídeo na China dentro de dois meses. Com esta manobra, a gigante tecnológica quer conquistar a liderança do setor antes que o rival Netflix consiga plantar o seu estandarte no maior mercado mobile do mundo.   O diretor do braço de entretenimento digital da

Uber quer investir mais de mil milhões na China

A Uber está a planear investir mais de mil milhões de dólares na China este ano. Com esta jogada, a empresa norte-americana quer potenciar o seu crescimento no maior mercado de smartphones do mundo. O fundador e diretor executivo do serviço de transportes digital, Travis Kalanick, comunicou aos investidores, segundo o Financial Times, que o

Audi e Baidu juntam-se para aprimorar serviços de carros conectados

A marca alemã de veículos de luxo e o maior motor de busca do mercado chinês formaram uma parceria para fortalecer os serviços de carros conectados na China. Ambas devem dar reposta a uma crescente procura por sistemas de assistência de direção e tecnologia autónoma no maior mercado automóvel do mundo.   A Audi, que pertence ao

China otimiza redes móveis para fazer crescer a economia

O governo chinês vai investir mais de 182 mil milhões de dólares para aumentar a capacidade das suas redes e a velocidade da Internet até ao fim de 2017. O país está a procurar fortalecer a sua capacidade de fornecimento de serviços para estimular o crescimento económico. Depois de no último trimestre de 2014 ter

Uber pode chegar à China através de parceria com app local

A aplicação chinesa de boleias Yidao Yongche poderá estar prestes a juntar-se à congénere Uber. Esta união permitirá ao serviço digital de transportes norte-americano conquistar o seu quinhão do mercado da China, onde tem repetidamente sido alvo de restrições lançadas pelas autoridades reguladoras do país. Quem tem acompanhado o percurso da Uber não ficará, certamente,

China é próximo alvo da Netflix

A Netflix está em negociações com empresas chinesas para levar o serviço de streaming online de vídeo até à potência asiática. Entre os eventuais parceiros está a Wasu Media, que tem o fundador da Alibaba, Jack Ma, como acionista. De olhos pontos no Oriente, a Netflix está a procurar traçar alianças com players do mercado

Lucros da Japan Display caiem mas empresa está otimista

A Japan Display disse que deverá já este trimestre registar um aumento dos lucros operacionais. As previsões da empresa japonesa baseiam-se no crescendo dos pedidos por parte das fabricantes chinesas de telemóveis. Por outro lado, a sua rival mais direta, a Sharp, está a ter dificuldades em gerar lucro, pelo que está a procurar um

Apple derruba Xiaomi e assume liderança na China

Mesmo com o negócio de smartphones a caminho de uma possível e inédita retração, reflexo direto da saturação do mercado, a China não deixa de atrair muita atenção. É o maior mercado do planeta, com uma economia crescente e muita vontade de consumir. Nessa economia galopante, a Xiaomi cresceu de forma explosiva, em poucos anos destronando

Apple Pay a caminho da China

A Apple está em negociações com a Alibaba e com bancos chineses para lançar aquele que será o primeiro sistema de pagamentos móveis da China. O diretor executivo da tecnológica californiana disse à imprensa local que está determinado a levar o Apple Pay até à potência asiática. À agência noticiosa chinesa Xinhua, Tim Cook revelou

Mercado chinês dos smartphones começa a perder altitude

O espaço chinês dos smartphones, considerado o maior do mundo, atingiu o limiar da saturação. Uma investigação da IDC traz à luz do dia evidências que poderão indicar o início do declínio do setor dos telemóveis na China, colocando em xeque os negócios de marcas como a Apple e a Samsung. O primeiro quartel do ano

Vendas da Apple na China aumentam e lucros disparam

Os lucros da Apple subiram 33 por cento no primeiro trimestre de 2015, e as receitas atingiram os 58 mil milhões de dólares. Estes resultados foram potenciados pelo reforço significativo das operações da empresa na China, onde, pela primeira vez, as vendas de iPhones superaram as do mercado norte-americano. A Apple está a começar o

Qualcomm ajuda fabricantes chinesas a vender no estrangeiro

A Qualcomm criou uma unidade na China para ajudar os fabricantes de smartphones locais a venderem os seus produtos nos mercados estrangeiros. Esta iniciativa surge cerca de dois meses após a empresa norte-americana ter sido pesadamente multada pelo governo chinês sob acusações de conduta monopolista. Produtora de processadores que potenciam dispositivos como o Samsung Galaxy