Brexit

Site de votações do referendo Brexit pode ter sido alvo de ciberataques

Um grupo de legisladores britânicos afirmam que site do qual os britânicos tiveram de aceder para poder votar no referendo sobre a permanência na União Europeia, pode ter sido alvo de manipulação por parte de hackers estrangeiros. A suspeita fundamentada, por parte deste comité, refere que o site teve problemas informáticos, antes de atingir os prazos de votação.

UK não quer perder talentos TI

O governo britânico vai conceder vistos a trabalhadores das industrias TI numa tentativa de não perder as competências de excelência que tem vindo a adquirir com know-whow dos informáticos que chegaram a Londres nos últimos 10 anos e que deram um impulso significativo na industria britânica de TI, nomeadamente com a adesão ao programa Tech City.

Snapchat escolhe Londres para sede apesar do Brexit

A rede social Snapchat escolheu Londres para ser a sede das suas Operações Internacionais voltando a demonstrar que, apesar do Brexit, o Reino Unido continua a ser considerado como um pólo tecnológico de referência mundial.

Brexit: Berlim começa a conquistar talentos de TI

O Brexit, que implica a decisão do Reino Unido em deixar a União Europeia, “promete” ter um sério reflexo a economia, nomeadamente no setor das Tecnologias da Informação. Segundo um recente trabalho da Reuters, o número de trabalhadores do setor financeiro local está já a procurar emprego no crescente setor de tecnologia financeira em Berlim.

Português lidera Câmara Britânica no Brasil

Parece confuso, mas não é. Jorge Santos Carneiro, o homem que vimos “nascer” na Infologia, e crescer na Sage Portugal, rumou, há dois anos, a terras brasileiras para dirigir o negócio desta software house britânica naquele país. Hoje, foi anunciado que Jorge Santos Carneiro é o novo presidente da Câmara Britânica de Comércio e Indústria no Brasil.

Futuras Leis de proteção de dados do Reino Unido devem ser iguais às da UE

O Gabinete do Comissário da Informação do Reino Unido (Information Commissioner’s Office em inglês, com sigla ICO) afirmou que o futura legislação do país sobre a proteção dos dados terá que ser tão forte quanto as leis da União Europeia. Isso é, se o Reino Unido pretende continuar a efetuar trocas de informação com os países comunitários quando deixar efetivamente e pertencer à União.