Securitas Direct investe 6 milhões de euros em tecnologia de segurança inédita

InovaçãoSegurança

Novo alarme ZeroVision é ativado remotamente e gera uma cortina de fumo que impede a visão aos intrusos.

A Securitas Direct, empresa especializada em proteção e segurança na Europa, lançou para o mercado português o alarme ZeroVision, um sistema que impede a visão através da propagação de uma cortina de fumo, permitindo às autoridades agir de forma imediata em caso de intrusão.

O novo alarme foi desenvolvido ao longo de dois anos por uma equipa de engenheiros especializados, tendo a empresa investido um total de seis milhões de euros, o que reflete o compromisso da Securitas Direct com a inovação.

No Relatório Anual de Segurança Interna 2018, o furto em residências e edifícios comerciais ou industriais através dos métodos de arrombamento, escalamento ou falsificação de chaves continuam entre os 18 crimes mais reportados.

Com efeito, no ano passado, registaram-se 12.161 participações relativas a furtos em residências, e 7.815 ocorrências em edifícios comerciais ou industriais, o que representa um aumento de 4%, relativamente aos dados de criminalidade de 2017. Houve ainda um aumento considerável do número de furtos em edifícios comerciais ou industriais sem arrombamento, escalamento ou falsificação de chaves (7,1%), o que indica a utilização de métodos de furto cada vez mais sofisticados.

Tendo em consideração os índices de criminalidade, e a gradual utilização de novas tecnologias por parte dos criminosos, a Securitas Direct desenvolveu uma tecnologia única que permite lançar uma cortina de fumo denso e intransponível, quando detetado um intruso no espaço. Sempre que a Central Recetora de Alarmes, verifica que ocorreu uma intrusão não autorizada, é ativado remotamente pela Securitas Direct o alarme ZeroVision, o que imediatamente gera a propagação de uma neblina densa e impede a capacidade de ver o espaço.  A ativação do alarme tem ainda comunicação direta com as forças de segurança, que são instantaneamente alertadas da intrusão.

Juan Antonio del Rio, diretor-geral da Securitas Direct Portugal não tem dúvidas quanto ao facto de que, “atualmente as técnicas utilizadas no furto de propriedades privadas são cada vez mais inovadoras, com os invasores a recorrerem às mais altas tecnologias por forma a evitar deixar rasto, o que tem vindo a criar novos desafios ao setor da segurança. Com os últimos dados de segurança a apontar para uma subida no furto de residências e espaços comerciais, temos a convicção que podemos contribuir para a melhoria destes números no próximo ano.”

O responsável da empresa destaca ainda que “a inovação é uma das nossas maiores prioridades, e por isso investimos já cerca de 40 milhões de euros nesta área. O alarme ZeroVision é um dos melhores exemplos, e resulta de mais de dois anos de investigação levada a cabo pela nossa equipa de engenheiros especializados, na procura de uma solução que permitisse encontrar uma solução de segurança diferenciada.”

Atualmente a Securitas Direct emprega 740 pessoas em Portugal, 100 das quais fazem parte da Central Recetora de Alarmes, que gere os 800 mil dispositivos conectados à rede.