Revolut investe em Portugal e planeia criar 400 postos de trabalho

Negócios

Com mais de 250 mil utilizadores em Portugal, a Revolut já está, oficialmente, a operar no país, e anunciou a abertura de um centro de suporte operacional no Porto, num investimento que ronda os quatro milhões de euros, apenas em infraestruturas, e que deverá criar cerca de 400 postos de trabalho.

A fintech britânica tem já cerca de 70 colaboradores e tenciona alargar a equipa a 400 pessoas, a médio prazo, naquele que será o segundo maior centro de suporte da Revolut na Europa, gerindo a relação com clientes, reclamações, investigação de transferências, compliance e crime financeiro, numa aposta que reflete o investimento continuado previsto para Portugal. Neste momento, localmente, estão quinze posições abertas

A obra do novo escritório, que receberá o centro de suporte global, está ainda em fase de conclusão, tratando-se de um edifício com quatro mil metros quadrados. Vai ocupar a antiga fábrica de latas de conservas Amorim Amorim, em Matosinhos, e deverá estar concluído até ao final de 2019. 

Em apenas quatro anos, a Revolut atraiu mais de seis milhões de utilizadores na Europa e tem já mais de 250 mil utilizadores em Portugal, número que cresce a um ritmo de 1.000 novas contas abertas todos os dias. Só em 2019 o número de utilizadores cresceu mais de 150%.

Segundo Nik Storonsky, fundador e CEO da Revolut, “Portugal está a emergir rapidamente como um hub de fintechs na Europa e estamos extremamente orgulhosos em integrar esse movimento com a criação de até 400 novos postos de trabalho. No ano passado, aquando da minha visita a Lisboa para a Web Summit, ficou muito claro para mim que o país abraçou integralmente os benefícios que a tecnologia financeira tem para oferecer”.

A par do estabelecimento deste centro de suporte mundial, a Revolut nomeou ainda o Country Growth Manager para o país, Ricardo Macieira. Depois de cinco anos a liderar o negócio da Airbnb em Portugal, Ricardo Macieira terá a responsabilidade do desenvolvimento do negócio da Revolut no país. Formado em Design pelo IADE, é co-fundador e co-CEO da empresa Alok Design Brands e é também, desde 2015, mentor de empreendedorismo na Startup Lisboa.

O, country manager da Revolut Portugal diz que foi com muito entusiasmo que aceitou integrar a Revolut numa fase clara de crescimento. “Estou muito feliz por começar a trabalhar ativamente o mercado português, que tem tido um dos crescimentos mais rápidos e pronunciados da nossa plataforma. O nosso foco será acelerar essa expansão, bem como trabalhar contínua e afincadamente na melhoria dos nossos produtos”. 

À equipa junta-se ainda Rebeca Venâncio, que liderará a área de Comunicação e Relações Públicas da Revolut em Portugal, depois de quase três anos como PR Manager na Microsoft Portugal e com uma carreira dedicada ao jornalismo, em meios de comunicação social como SIC, TVI, grupo Cofina e Diário Económico. 

Miguel Costa ocupa o cargo de Community Manager, e propõe-se a fazer disparar o nível de engagement dos utilizadores, tendo no currículo empresas como a MOG e a Nomad Tech. 

A Revolut foi lançada em julho de 2015 como uma alternativa digital à banca tradicional. No período de quatro anos ultrapassou seis milhões de clientes na Europa e 200 mil em Portugal. O CEO da empresa visitará Portugal em novembro, tendo sido uma das primeiras confirmações para a edição de 2019 da Web Summit, em Lisboa

Read also :