Reino Unido quer taxar receitas de gigantes da Internet

e-Marketinge-RegulaçãoEmpresasGestãoLegislaçãoNegóciosRedes Sociais

O Reino Unido estará a considerar a hipótese de taxar as receitas das empresas de internet até que as regras fiscais internacionais sejam alteradas.

O Reino Unido estará a considerar a hipótese de taxar as receitas das empresas de internet, como o Facebook e a Google, até que as regras fiscais internacionais sejam alteradas para lidar com empresas que podem mudar as vendas e os lucros entre diversas jurisdições.

O ministro das Finanças do Reino Unido, Philip Hammond, publicou um artigo que apresenta propostas de tributação às empresas digitais globais antes de uma reunião com as suas homólogas do G20 no final desta semana.

No passado, as grandes empresas de internet pagaram poucos impostos na Europa, normalmente através da canalização de vendas através de países como a Irlanda e o Luxemburgo, que possuem regimes fiscais mais ligeiros.

Tanto a Google como o Facebook mudaram a forma como representam a sua atividade no Reino Unido, resultando num aumento no imposto corporativo pago. Mas a taxa de imposto do Facebook UK para 2016, por exemplo, foi de 5,1 milhões de libras, apenas um modesto aumento no nível de 4,2 milhões de libras em 2015. A sua receita no Reino Unido em 2016 foi de 842 milhões de libras.

“No outono, publicámos um artigo sobre a tributação de grandes empresas digitais na economia global e hoje acompanhamos uma publicação que explora as potencias soluções”, disse Hammond, quando apresentou uma atualização sobre as finanças do governo.

No final do ano passado, o governo também levantou a possibilidade de impor novos impostos às gigantes tecnológicas, a menos que essas empresas façam mais para combater o extremismo online.

Read also :