Prosegur lança fundo de 30 milhões de euros para investimento em tecnologia

Negócios

A empresa de segurança lançou um fundo de investimento, sob a forma de Corporate Venture Capital, dotado de um capital inicial de 30 milhões de euros, ao qual se podem candidatar as startups portuguesas.

A Prosegur criou um fundo de investimento, em forma de Corporate Venture Capital, com uma dotação inicial de 30 milhões de euros, para o qual se podem candidatar as startups de todo o mundo, entre os quais as portuguesas.

A iniciativa faz parte do projeto de transformação global da empresa e, em colaboração com as suas empresas participadas, tem como objetivo aprimorar a sua oferta de serviços e continuar a gerar valor para o grupo a longo prazo. 

Desde a sua criação, o Prosegur Tech Ventures avaliou mais de 400 propostas de investimento, cerca de 150 das quais analisadas detalhadamente, para finalizar cinco investimentos até o momento, com a expectativa de fechar várias operações adicionais antes do final do ano.

Com a aquisição de ações destas empresas, a Prosegur quer obter retorno financeiro, além de incentivar o desenvolvimento de novas tendências e tecnologias com impacto no campo da segurança. O objetivo é liderar a transformação do setor da segurança através da incorporação, nos seus serviços, de soluções baseadas em tecnologia, ao mesmo tempo que fortalece e diferencia a posição das suas três unidades de negócios, que operam em ambientes cada vez mais competitivos. 

O Prosegur Tech Ventures possui uma equipa dedicada, que colabora estreitamente na busca e identificação de oportunidades relevantes para cada unidade de negócios: Prosegur Security, tanto na área da tecnologia como da cibersegurança, Prosegur Cash e Prosegur Alarmes. Dentro do esquema de trabalho projetado, cada empresa deve enviar as propostas de investimento, posteriormente aprovadas por um comité formado por especialistas da empresa e por profissionais externos.

Desta forma, a Prosegur cria uma carteira de investimentos minoritários em startups que estão relacionados com as atividades do grupo num sentido mais amplo. Com isto, a empresa traz o valor acrescentado e a experiência de mais de 40 anos como uma das líderes mundiais no setor de segurança, ao mesmo tempo que integra as melhores práticas das empresas de Venture Capital com objetivo financeiro.

Os investimentos do Prosegur Tech Ventures não têm nenhuma limitação geográfica e embora seja flexível na análise de cada investimento, o valor varia entre o mínimo de 300 mil euros e um investimento máximo de três milhões de euros. Até à data, os investimentos correspondem a duas empresas de segurança cibernética israelita, uma que opera sob a plataforma de “command & control”, e a outra que aplica técnicas de computação cognitiva, com especial enfoque no RGPD (Regulamento Geral de Proteção de Dados).

O Prosegur Tech Ventures investiu ainda numa FinTech brasileira especializada na conciliação de cobranças no setor do retalho, capaz de processar mais de 18 milhões de transações por mês; numa empresa espanhola de AdTech (tecnologia aplicada ao marketing) especialista, através da incorporação de inteligência artificial, na otimização de leads para a geração de vendas (L2RM) e, finalmente, numa empresa alemã que desenvolve soluções baseadas na realidade aumentada com aplicação industrial.