Preço das comunicações desce mais em Portugal do que na Europa

Mobilidade

Preços nos pacotes de comunicações, usados por 89,4% das famílias portuguesas, baixaram nos últimos 36 meses -2,4%, enquanto que na UE27 subiram +2,6%, assegura Apritel.

Os dados mais recentes do EUROSTAT, referentes a outubro de 2021, demonstram mais uma vez “forte dinâmica competitiva do mercado português de comunicações eletrónicas”, sublinha a Apritel.

Nos últimos 36 meses, a competitividade do setor nacional sai reforçada: “O índice dos preços dos serviços de comunicações eletrónicas (que integra o IHPC) reduziu-se -3.5% enquanto na UE27 estagnou (+0.05%)”.

Nos serviços em pacote, aqueles que as famílias portuguesas cada vez mais preferem, e que no final de 2020 já eram subscritos por 89 em cada 100 famílias (de acordo com dados da ANACOM,  os preços baixaram nos últimos 36 meses.

Assim sendo em Portugal desceram 2,4%, enquanto na UE27 aumentaram 2.6%. Nos últimos 12 meses manteve-se esta tendência, com os preços na UE27 “a subirem +0.3% e em Portugal apenas +0.2%”.

Relativamente aos serviços em internet fixa, nos últimos 36 meses os preços baixaram 3,2%, contra uma descida na UE 27 de 2.37%. Ao mesmo tempo que há uma forte redução nos preços, a taxa de cobertura de redes fixas de alta velocidade (em fibra ótica) atingiu uma cobertura de 87,6%, “o que significou um crescimento de 6,6 p.p. nos últimos doze meses”.

Read also :