Portugal destaca-se em feira internacional

Inovação

Foram quatro os projetos que este ano representaram Portugal na mais prestigiada Feira Intel ISEF que terminou em Pittsburgh, na Pensilvânia.

Foram quatro os projetos que este ano representaram Portugal na mais prestigiada Feira Internacional de Ciências e Engenharia (Intel ISEF) que termina hoje em Pittsburgh, na Pensilvânia.

Para Portugal vem o 2º Prémio atribuído pela Society for Science & the Public ao projeto de Ciências do Ambiente desenvolvido por Eduardo Nogueira, Francisca Martins e Gabriel Silva do Colégio Luso-Francês, no Porto.

Os jovens estudantes do Porto conquistaram na última semana o 2º Prémio da categoria de microbiologia com o projeto ShealS – Sea Heals Soil, desenvolvido na área da Ciências. Como explicam os autores “o projeto ShealS visa a criação de um fungicida natural à base de extratos de algas da costa portuguesa para combate a Phytophthora cinnamomi, um oomiceta que não reage a qualquer fungicida comercialmente disponível e que se encontra incluído na lista dos 100 fitopatogénicos exóticos invasores mais prejudiciais a nível mundial. Como as macroalgas marinhas aumentam a defesa das plantas contra agentes patogénicos, foram utilizados extratos de 3 macroalgas marinhas, com o objetivo de testar o seu poder inibitório. A macroalga Corallina sp. inibiu o crescimento fúngico em 63%, o que se configura como um agente biológico promissor para um futuro combate à doença-da-tinta”.

Foi na 25ª edição do Concurso para Jovens Cientistas, promovido pela Fundação da Juventude em 2017, que os jovens alcançaram a oportunidade de representar Portugal na 29ª Edição do European Union Contest for Young Scientists, onde foram premiados com um prémio de participação no maior e mais prestigiado concurso mundial de ciência que hoje termina nos Estados Unidos.

Todos os anos cerca de 7 milhões de alunos do ensino secundário competem em feiras regionais e nacionais de ciências com o objetivo de serem apurados para a Intel ISEF.

Em Portugal é a Fundação da Juventude que promove anualmente o Concurso de Jovens Cientistas a partir do qual muitos jovens estudantes, do ensino pré-universitário, alcançam a possibilidade de mostrar o seu trabalho a nível internacional, na mais prestigiada feira de ciência.

Segundo Francisco Maria Balsemão, Presidente da Fundação da Juventude, “é importante que apoiar e fomentar o desenvolvimento científico em Portugal, o qual estes jovens provam que pode começar bem cedo nas escolas. Apesar de sermos um país pequeno já alcançamos uma quota de participação significativa”.