Opinião | Alguma vez pensou em criar um Shared Service Center em Portugal?

Negócios

Atualmente as empresas centram cada vez mais as suas funções de back-office numa única unidade de negócios – Shared Service Center ou SSC – estrutura que permite simplificar as operações, reduzir os custos e melhorar a qualidade dos produtos e serviços. No passado, grandes empresas como, a título de exemplos, Lufthansa ou a Nestlé, estabeleceram alguns dos seus serviços de apoio na Europa Oriental com grande sucesso. O conceito aparentava ser lógico e permitia a tão desejada redução de custos através de uma produção low cost.

Contudo, estas iniciativas depararam-se com diversas dificuldades nos países da Europa Oriental devido, nomeadamente, às longas distâncias dos centros de produção face às sedes, situação que afeta negativamente os prazos de entrega, não sendo fácil atrair talentos para esta geografia, sobretudo se falarmos de profissionais qualificados da Europa Ocidental e do Norte da Europa.

As empresas começaram, assim, a procurar alternativas para construir os seus SSCs e, ao longo dos últimos anos, surgiu um novo destino: Portugal.

E há muitos clientes perguntam como é que o seu negócio pode beneficiar com um SSC em Portugal!

Muitas vezes dou a volta a esta questão e pergunto: como é que uma empresa não beneficiaria ao estar num país como Portugal?

Portugal fornece vários benefícios económicos, como um sistema de impostos favorável, infraestruturas excelentes e uma localização conveniente no Sul da Europa. Existem também várias iniciativas governamentais para a contratação de talentos.

Com uma taxa de desemprego de 8% e um sistema político estável, as empresas em Portugal são apoiadas pelo Estado. Poderão receber compensações até 80% de um salário para um jovem profissional ou recentemente graduado. Estes perfis são altamente apropriados para SSCs devido à sua flexibilidade e capacidade de adaptação. Portugal é amplamente conhecido pelo seu sistema académico e, graças à presença de universidades prestigiadas em Lisboa e no Porto, as empresas conseguem encontrar candidatos locais e internacionais altamente qualificados, com especialização e fortes aptidões linguísticas.

Outra vantagem para as empresas tecnológicas é o crescimento industrial português neste sector. Portugal é o anfitrião da feira de tecnologia mundial Web Summit, na qual empresas mundiais encontram-se e partilham conhecimentos. Lisboa está verdadeiramente a caminho de se estabelecer como um centro start-up de tecnologia, atraindo talentos de todo o mundo.

Read also :