Noesis termina 2017 com um volume de negócios recorde

EmpresasFinançasNegócios

A Noesis atingiu, em 2017, um volume de negócios recorde de 31.5 milhões de euros. Este resultado representa um crescimento de 11%.

A Noesis atingiu, em 2017, um volume de negócios recorde de 31.5 milhões de euros. Este resultado representa um crescimento de 11%, o que vem comprovar a consistência e qualidade percecionada dos produtos e serviços da organização, assim como a assertividade e relevância da sua oferta e a aposta no capital humano como pilar fundamental do desenvolvimento da empresa.

Os resultados obtidos transmitem também o crescimento nos mercados internacionais em que a organização opera, representando já 7 Milhões do volume de negócios global. A abertura do novo escritório em Boston, nos Estados Unidos da América, bem como a presença da Noesis em fóruns globais dedicados à qualidade no desenvolvimento de software têm vindo a reforçar a crescente aposta da organização nos mercados internacionais mais competitivos e exigentes.

O crescimento registado é também resultado da consolidação dos investimentos efetuados no Centre of Development, que opera num regime de off-site e suporta o negócio internacional em modelos de nearshore ou offshore e integra especialistas em OutSystems, Mobile, Portais e Quality Management, entre outras tecnologias.

“Independentemente do setor, a transformação digital que estamos a viver está a mudar todos os negócios. É neste sentido, que, este ano, iremos estar focados em Digital Transformation. Temas como customer experience, big data & analytics, test automation, process mining, bem como cybersecurity são as novas preocupações dos nossos clientes. Queremos, por isso, assegurar-lhes que estamos, claramente, posicionados para os ajudar nesta transição, garantindo que conseguem competir neste novo paradigma, através do desenvolvimento de soluções mais personalizadas e cada vez mais adequadas às reais necessidades dos nossos clientes”, refere Alexandre Rosa, CEO da Noesis.

A empresa estima atingir novamente este ano um crescimento de 11%, e reforçar o investimento nas áreas consideradas prioritárias: inovação contínua da sua oferta e estabelecimento de novas parcerias, bem como fortalecer a sua presença internacional.