MWC 2015: Ericsson promove experiências digitais em Barcelona

Mobilidade

5G, LTE, Cloud, IP, soluções de virtualização de rede, big data analytics, OSS/BSS, TV e media… estes foram algumas das soluções e tecnologias que a Ericsson trouxe a Barcelona ao Mobile World Congress 2015. Soluções que, diz a empresa, irão permitir que os agentes de mudança da Sociedade em Rede avancem para as verdadeiras experiências

5G, LTE, Cloud, IP, soluções de virtualização de rede, big data analytics, OSS/BSS, TV e media… estes foram algumas das soluções e tecnologias que a Ericsson trouxe a Barcelona ao Mobile World Congress 2015. Soluções que, diz a empresa, irão permitir que os agentes de mudança da Sociedade em Rede avancem para as verdadeiras experiências digitais.

Ericsson no Mobile World Congress

Image 29 of 41

Ericsson no Mobile World Congress

Comecemos pelo 5G. Já está a ser obviamente testado e o palco em Barcelona não poderia ser mais indicado para o fazer, ate porque se prevê que as primeiras redes comerciais surjam em 2020. A empresa sueca trouxe o seu Radio 5G e mostrou aquele que garante ser o primeiro sistema Dual Connectivity do mundo, que permite aos dispositivos uma ligação simultânea às redes 5G e LTE.

Ainda no 5G, o tema redes capilares foi igualmente explorado. Aqui foi demonstrado como é possível gerir redes de grande escala da Internet of Things (Internet das Coisas) e lidar com ciclos de controlo de baixa latência através da rede móvel. Até porque, explica a empresa, uma grande parcela dos dispositivos nos futuros sistemas 5G serão máquinas autónomas pelo que é preciso mudarmos o paradigma de gestão do atual modelo de um-para-um para um modelo um-para-muitos.

Por último no tema 5G, o controlo remoto através de uma rede móvel que cativou muitas das atenções do stand da marca sueca. A Ericsson Research demonstrou, em colaboração com a Volvo Construction Equipment (Volvo CE), um sistema de controlo remoto de duas escavadoras através da rede móvel e em tempo-real. As duas escavadoras compactas Volvo CE, que integram a tecnologia de protótipo, mostram a implementação completa do conceito 5G. Este projeto de investigação conjunto pretende demonstrar as exigências futuras ao nível das redes 5G, o poder de transformação das TIC e o que a tecnologia mais avançada pode realmente oferecer.

Outra estrela da companhia é o Ericsson Radio System, uma solução de rede móvel modular desenhada para melhorar a cobertura das aplicações para os utilizadores de dispositivos móveis, num cenário de crescimento do tráfego de smartphones (8X), entre 2014 e 2020, ano em que se estima que 90% da população mundial com mais de seis anos tenha um telefone móvel. “O Ericsson Radio System coloca os operadores no caminho certo para o 5G ao garantir o melhor desempenho da indústria – Ericsson Many-Core Baseband Architecture – e uma redução drástica dos requisitos energéticos, do espaço disponíveis nos locais e do tempo de instalação”, garante a empresa.

Depois, várias outras tecnologias estiveram em demonstração neste que é um dos maiores stands do Mobile World Congress e por onde os responsáveis esperam que passem qualquer coisa como sete mil pessoas entre parceiros e clientes. Foi possível ver o Psi-Coverage, uma solução desenhada para ligar de uma forma eficiente os mais de 3 mil milhões de utilizadores de banda larga móvel ou a solução TDD-FDD Carrier Aggregation de banda base única que permite aos operadores adicionarem cobertura TDD e capacidade às suas redes apenas através da atualização de software.

Já o License Assisted Access (LAA), do qual já falamos anteriormente, é uma tecnologia 4,5 G que melhora a cobertura interior de aplicações para os utilizadores de smartphones através de uma combinação de bandas de espetro licenciadas e não licenciadas.

Na vertente de Serviços Geridos, a Ericsson trouxe o Network Operations e Service Centers (NOC e SOC). A empresa demonstrou a forma como utiliza os seus network operations centers (NOC) para gerir redes a pedido dos operadores em tudo o mundo. Aliás, este ano, pela primeira vez, a Ericsson demonstrou a forma como monitoriza a qualidade de serviço através dos seus service operations centers.

Já nos Operation Support Process as a Service é possível ver aqui em Barcelona o portfólio de ferramentas e de processos que a Ericsson utiliza sempre que é contratada para gerir a rede de um operador está agora disponível no modelo as a service. “O Operation Support Process as a Service ajuda a baixar o custo total de propriedade e reduz a necessidade de investimentos dos clientes, permitindo que as ferramentas OSS\BSS sejam facultadas como serviços”.

Também aqui está a denominada Pay TV at Web Speed, a próxima geração de plataforma da Ericsson de TV por subscrição baseada em cloud, “potenciando as mais ágeis experiências de televisão do mundo”.

Aliás, a cloud ganha particular relevância nesta feira com os novos routers IP 6000 series que junta o transporte de rádio e de IP, integrado com o Ericsson Radio System e o Ericsson Network Manager. Voltamos a ver o Ericsson Cloud System que já falamos anteriormente e as chamadas Wi-Fi. A empresa sueca demonstrou chamadas de voz e de vídeo através de Wi-Fi, usando suporte nativo em smartphones e interoperabilidade plena com voz sobre LTE.

Por último, é possível ver aqui em Barcelona a “Gestão de conhecimento para indústria e para a sociedade”, utilizando os transportes inteligentes como exemplo: um comboio de mercadorias pode ser controlado através de automação e da gestão de conhecimento.

Trouxeram ainda o Maritime ICT Cloud, uma solução de gestão em cloud que liga as embarcações no mar com entidades em terra para facilitar os serviços usados para gerir frotas, monitorizar os motores e o consumo de combustível, verificar as rotas e a navegação e assegurar o bem-estar da tripulação.

Read also :

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor