HUUB: startup portuguesa entre as “mais sexy” da Europa

InovaçãoNegóciosStartup

A HUUB, startup tecnológica que opera na área da “supply chain” para a indústria da moda, está entre os finalistas do prémio “Hottest FashTech Startups” da Europa, uma nomeação atribuída pelo júri do The Europas Awards, evento patrocinado pela TechCrunch, uma influente publicação norte-americana no segmento da tecnologia.

Depois do anúncio do levantamento de uma nova ronda de investimento, no valor de 1,5 milhões de euros, um negócio fechado com a gigante mundial da logística Maersk, a HUUB volta a virar os holofotes internacionais para Portugal. Desta vez foi nomeada como uma das empresas ‘mais sexy’ da Europa na área da tecnologia e da moda – “Hottest FashTech Startups” – uma distinção atribuída no âmbito dos disputados The Europas Awards, um dos mais importantes da Europa.

O evento foi fundado por Mike Butcher, escritor e editor de renome na indústria das startups e da tecnologia.

Para Luís Roque, co-fundador e CEO da HUUB, esta é uma importante nomeação e acrescenta que “não queremos apenas que a HUUB seja vista como ‘sexy’, mas sim que toda a indústria da logística seja interpretada como uma área de negócio atraente, cativante, com potencial de crescimento e capaz de seduzir os melhores talentos nacionais e internacionais.”.

Tornar a logística um setor cada vez mais interessante tem sido uma das principais missões da HUUB, que fechou, no mês passado, o ciclo de “seed-stage” de financiamento com um total de 4,35 milhões de euros angariados. Este é um dos maiores investimentos de sempre registados em Portugal e representa mais do dobro da “seed” média norte-americana e quatro vezes a média europeia.

Na base do percurso de sucesso da HUUB, iniciado em 2015, está um modelo de negócio inovador que garante um serviço integrado em toda a cadeia de abastecimento de uma marca. Com um grande foco na multimilionária indústria da moda, tem como principal objetivo conferir a marcas independentes maior eficiência e capacidade competitiva para combater o monopólio dos principais players da indústria do “Fast Fashion”.

Para isso, desenvolveu uma plataforma integrada, intitulada Spoke, que gere interações de ponta a ponta, desde fornecedores a clientes finais (B2B ou B2C), em mais de 123 mercados. Por outro lado, recolhe, analisa e partilha dados estratégicos e personalizados sobre fluxo de mercadorias e tendências do setor, dotando as suas marcas de informação que lhes permite tomar decisões de negócio mais eficazes. 

Read also :