Estudantes e docentes do IPS juntam-se às empresas em projetos de cocriação

Gestão

A ideia é garantir a resolução de problemas reais, numa perspetiva de cocriação por meio de equipas multidisciplinares de trabalho, criadas no âmbito do Projeto de Inovação Pedagógica.

Estudantes e docentes do Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) vão, ao longo das próximas semanas, trabalhar em conjunto com empresas e organizações na resolução de problemas reais, numa perspetiva de cocriação.

As equipas multidisciplinares de trabalho, criadas no âmbito do Projeto de Inovação Pedagógica, lançado pela plataforma de inovação de origem finlandesa Demola no final de 2020, serão apresentados depois numa sessão online .

A apresentação dos projetos de cocriação, que abarcam áreas como Serviços Disruptivos, Novas Tecnologias, Sociedade & Cultura, Bem-estar e Sustentabilidade, será moderada pelos docentes Luísa Carvalho e Nuno Pina, a equipa de coordenação pedagógica do projeto no IPS.

Ao todo são oito projetos, envolvendo as empresas Introsys, Ultra Aventura, PROComSom, Sinalcabo, Nokia Portugal e Ascenza, bem como os municípios de Setúbal e do Barreiro.

Envolvendo atualmente 50 instituições de ensino superior, 750 mil estudantes e um conjunto alargado de organizações em todo o mundo, trata-se, no entender de Luísa Carvalho, de “um projeto estratégico que permite o desenvolvimento de um conjunto de ações, nos domínios da formação de docentes, ligação com a comunidade e empresas para a resolução de problemas em cocriação, e internacionalização”.

Para os estudantes, significa “ter a possibilidade de aprender num formato inovador, colaborativo, aplicado e com suporte em ferramentas inovadoras e mundialmente testadas”.

Por último, a comunidade, representada pelas organizações com e sem fins lucrativos envolvidas, sai beneficiada pelo “contributo das ideias dos millennials e do seu pensamento divergente na resolução de problemas reais”.

Read also :