EMEL e BCSD apostam em Blockchain

InovaçãoSegurança

A Aliança Portuguesa de Blockchain anunciou que o BCSD e a EMEL lançaram os seus desafios para promover o desenvolvimento de soluções em Blockchain.

A Aliança Portuguesa de Blockchain anunciou que o BCSD Portugal e a EMEL lançaram os seus próprios desafios que visam promover o desenvolvimento de soluções inovadoras baseadas na tecnologia Blockchain. Paralelamente, foi lançado um desafio aberto a várias indústrias e setores.

O EMEL Mobility Challenge terá como base a criação de uma solução assente em Blockchain que interligue os registos de propriedade automóvel numa determinada área de influência e os registos de dísticos da EMEL para a mesma área de influência.

“A EMEL, no âmbito do protocolo celebrado com a CIONet, assume-se como um parceiro de referência nesta Aliança de Blockchain, pelo seu caráter inovador e estratégico na melhoria dos processos associados à sua estratégia de mobilidade”, refere Paulo Nunes, CIO da EMEL. “Acreditamos que esta tecnologia disruptiva irá melhorar a atividade de operação em todas as suas atividades, quer de fiscalização, quer nos serviços de mobilidade, e marcar a diferença na aproximação e disponibilização ao cidadão de Lisboa”.

O BCSD Portugal Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável lançou o seu próprio desafio, intitulado BCSD Sustainability Challenge. Este desafio visa encorajar o desenvolvimento de soluções assentes em Blockchain que contribuam para a redução da pegada de carbono dos produtos ao longo da cadeia de valor e que, em paralelo, consigam gerar informação fiável que possa ser transmitida aos consumidores.

“Como o consumidor de hoje em dia é cada vez mais sensibilizado e exigente para com as questões ambientais e sociais, o Blockchain pode desempenhar o papel de gerador de informação sobre o cálculo das emissões de carbono e a pegada de carbono dos produtos. Acreditamos que através deste desafio vamos encontrar soluções que vão ao encontro da transparência que os consumidores começam a exigir”, afirma Sofia Santos, Secretária-Geral do BCSD.

Foi ainda lançado o Open Innovation Challenge, um desafio para quem quer desenvolver as suas soluções baseadas em Blockchain, mas que ainda não encontrou o Challenge adequado para a sua ideia. Este desafio aberto tem como objetivo promover a inovação no âmbito da tecnologia Blockchain no tecido empresarial português, ser um espaço de conhecimento entre todos os interlocutores do ecossistema criado em torno da Aliança Portuguesa de Blockchain e consciencializar o ecossistema da Aliança para as mudanças de processo de negócio provocadas pela inovação da tecnologia Blockchain.

“A tecnologia Blockchain vai impactar todos os setores económicos, e este Open Innovation Challenge é exemplo disso mesmo. Não são apenas os bancos e o setor financeiro a aproveitar as inovações deste paradigma, mas também outras empresas e setores, como é o caso da EMEL e do BCSD”, explica Rui Serapicos, Managing Partner da CIONet Portugal. “Acredito que vamos ver soluções bastante inovadoras que, certamente, vão ser postas em prática num futuro próximo”.

Estes desafios têm como destinatários as empresas, startups e estudantes interessados no desafio. Os proponentes devem candidatar-se em grupos entre duas e oito pessoas, independentemente da categoria do participante.

Read also :