Dois terços das grandes empresas enfrentam elevados níveis de disrupção

EmpresasNegócios

Um novo estudo da Accenture revela que a disrupção na indústria já é uma realidade para a maioria das empresas a nível mundial.

Um novo estudo da Accenture revela que a disrupção na indústria já é uma realidade para a maioria das organizações a nível mundial. Segundo esta pesquisa a disrupção não é um evento aleatório e fora do controlo dos executivos, apresentando um padrão que pode ser identificado, compreendido e antecipado.

O estudo da Accenture analisou 3.600 empresas com receitas anuais de pelo menos 100 milhões de dólares em 82 países, sob dois aspetos – nível atual de disrupção e possível disrupção futura. Uma das principais conclusões é que atualmente 63% das organizações enfrentam altos níveis de disrupção e 44% delas apresentam fortes sinais de possível disrupção futura.

Como parte do estudo, a Accenture desenvolveu um “índice da disrupção” que analisa as principais componentes deste fenómeno. A pesquisa considerou a presença e penetração de mercado de empresas disruptivas, bem como o seu desempenho financeiro, eficiência operacional, compromisso com a inovação e a capacidade de defesa contra ataques.

Os líderes empresariais podem utilizar este índice para entender os motivos que levam os seus setores a ocupar determinada posição, identificar riscos e oportunidades, e preparar a resposta estratégica adequada. O índice da Accenture avaliou empresas de 20 diferentes setores de atividade e 98 subsegmentos em vários aspetos do processo de disrupção.

“A disrupção é contínua e inevitável – mas previsível”, refere Omar Abbosh, Chief Strategy Officer da Accenture. “Os executivos têm de determinar o posicionamento das suas organizações no cenário de disrupção e estimar a velocidade da mudança. Se observarem as mudanças à sua volta de forma clara, melhores serão as suas previsões e a identificação de oportunidades para a criação de valor a partir da inovação para as suas empresas rumo ao novo”.

Read also :