Distribuidores podem aumentar receitas através de medidas de segurança

FinançasNegóciosSegurança

De acordo com um novo estudo, a cibersegurança pode oferecer aos retalhistas novas oportunidades de se tornarem mais competitivos.

De acordo com um novo estudo do Digital Transformation Institute da Capgemini, a cibersegurança pode oferecer aos retalhistas novas oportunidades de se tornarem mais competitivos. Para aproveitarem estas oportunidades, as empresas devem alinhar as suas políticas de cibersegurança de acordo com a expectativas dos seus clientes.

O estudo Cybersecurity: The New Source of Competitive Advantage for Retailers demonstra que os consumidores estão cada vez mais conhecedores das ameaças à segurança no setor do retalho, e estão prontos a comprar mais nas lojas online das marcas que demonstrarem ter adotado medidas de segurança eficazes. Os retalhistas têm aqui uma possibilidade de incrementar mais 5,4% as suas receitas, com base na média anual dos gastos dos seus clientes.

O novo estudo, que inquiriu mais de 6000 consumidores e de 200 executivos de topo do setor do retalho, revela que 77% dos consumidores elege a cibersegurança como o terceiro principal critério de seleção das lojas onde faz as suas compras online. Para trás ficam os critérios tradicionais como o preço ou a reputação das marcas. O estudo também conclui que a adoção de medidas de segurança eficazes permite aumentar o nível de satisfação dos clientes que compram online em 13%.

Paralelamente, 40% dos consumidores revelou estar aberto a aumentar os seus gastos em compras online em pelo menos 20%, junto dos retalhistas nos quais confia. De acordo com o estudo, os retalhistas que forem capazes de adotar medidas de segurança avançadas e eficazes nas suas plataformas de venda online poderão registar um aumento de mais 5,4% no volume das suas receitas anuais.

No entanto, o estudo mostra que há uma diferença entre as expectativas dos consumidores nestas matérias e aquilo que os profissionais do setor da distribuição/retalho propõem: 70% dos consumidores querem ter a certeza que os seus dados pessoais e financeiros são manipulados com segurança; porém, apenas 44% dos retalhistas possui e exibe informação adequada sobre este assunto.

A comunicação dos retalhistas sobre os riscos de violação dos dados pessoais é igualmente insuficiente. Enquanto 40% dos lojistas revelaram que já foram vítimas de ciberataques que comprometeram os dados financeiros ou/e pessoais dos seus clientes nos últimos três anos (entre 2015 e 2017), apenas 21% dos consumidores disse ter tido conhecimento dos incidentes que afetaram as principais lojas onde faz as suas compras online.

“Os consumidores desenvolveram o hábito de fazer compras online e conhecem os seus direitos, pelo que a cibersegurança se tornou essencial para eles. Os consumidores querem fazer as suas compras nas lojas em que confiam,” explica Geert van der Linden, Cibersecurity Busniess Lead, Capgemini Cybersecurity Pratice do Grupo Capgemini. “É tempo das administrações das empresas retalhistas tornarem a cibersegurança numa verdadeira prioridade.”

“A cibersegurança representa uma oportunidade vantajosa para os distribuidores melhorarem os níveis de satisfação dos seus clientes e para aumentarem as suas receitas nas vendas online,” afirma Tim Bridges, Global Sector Lead, Consumer Products, Retail & Distribution da Capgemini. “Só os retalhistas que forem capazes de alinhar de forma eficaz as medidas de cibersegurança de acordo com as expectativas dos seus clientes, poderão aumentar as suas receitas”.