Critical Software aproxima-se das escolas de engenharia com laboratório de criatividade

Inovação

A Critical Software, empresa de referência mundial especializada no desenvolvimento de oluções de software e serviços de engenharia para o suporte de sistemas críticos, instalou o seu primeiro laboratório tecnológico criativo fora da empresa. O novo FIKALAB está agora disponível no Instituto Superior de Engenharia de Coimbra (ISEC) para que todos os estudantes tenham acesso a ferramentas que lhes permitam construir os seus projetos.

O FIKALAB, criado pela empresa em 2016, é um conceito que já existe em vários dos seus escritórios, e representa um espaço onde qualquer colaborador se pode desligar durante alguns momentos da sua rotina de trabalho e utilizar as mais recentes tecnologias desde gadgets, drones e impressões 3D para desenvolver ideias próprias.

Com a abertura deste laboratório no ISEC, a Critical ambiciona expandir o conceito para o meio académico com o objetivo de aproximar a empresa das escolas de engenharia, promover o conhecimento e experimentação das mais recentes tecnologias e impulsionar os alunos a criarem projetos novos nestas áreas.

“A escolha do ISEC como local para a expansão deste conceito vai ao encontro da nossa estratégia de promoção da inovação e tecnologia nas comunidades envolventes. Como o futuro será criado em parte por aqueles que hoje estão a estudar, queremos posicionar a Critical Software como uma escola de engenharia, unimo-nos ao ISEC para fornecer aos seus estudantes as ferramentas necessárias para desenharem as soluções de amanhã”, explica Gonçalo Quadros, CEO da Critical Software.

O FIKALAB procura ainda incentivar os seus participantes a tornarem as cidades onde está instalado o laboratório mais conectadas, possibilitando, por exemplo, soluções de irrigação inteligente ou de estacionamento inteligente, através da rede The Things Network, uma rede livre e de código aberto baseada em tecnologias associadas à Internet das Coisas. A Critical Software foi a responsável por implementar esta iniciativa global nas cidades de Coimbra, Tomar e Viseu, fazendo também parte da rede em Vila Real.

“A nossa missão é dotar a cidade de Coimbra com conectividade para a Internet das Coisas, através de uma rede descentralizada, aberta e crowd sourced, que é propriedade de e gerida pelos seus cidadãos, empresas locais e instituições. Acreditamos que uma cidade para se tornar verdadeiramente inteligente e sustentável tem de ser construída com a participação ativa do seu cidadão, da sua comunidade, traduzindo-se numa vantagem competitiva para a economia local”, explica o líder da empresa.

Mário Velindro, presidente do ISEC, acredita que o laboratório funciona como um “gatilho para digitalizar o ensino, transformar conteúdos, espaços e métodos de aprendizagem”. “A ideia é a de que os estudantes se comecem a sentir mais motivados, mais inspirados, com vontade de exercitar competências novas em áreas que podem ser diferentes daquelas que lhes estão a ser ministradas nas aulas”, acrescenta.

Os colaboradores da Critical Software têm desenvolvidos alguns projetos no âmbito do FIKALAB, como o Griffin –  uma aeronave autónoma que pode manter-se a voar durante dias com energia solar e poderá ser capaz de detetar fogos ou recolher dados atmosféricos – e o LoraChair –  um dispositivo que permite monitorizar a ocupação dos assentos de um determinado espaço.

Também os estudantes do ISEC já responderam à primeira chamada e foram apresentados três dos 11 projetos em desenvolvimento nesta instituição de ensino superior: o DaSLaV –  um veículo offroad capaz de adquirir dados do solo, ambiente e plantas, com o objetivo de obter informações do campo e das culturas –, um projeto sobre a Espetroscopia de Impedância Eléctrica e LoRaWan, que tem como objetivo a deteção precoce de patologias nas plantas, e o Sendoring LoRa – que combina vários sensores capazes tanto de detetar intrusões abusivas e fornecer um alerta, como de monitorizar processos muito específicos, tais como a rega e fornecer advertências.

Esta é a primeira vez que a Critical Software expande o projeto para fora da empresa e o objetivo é que continuem a existir mais iniciativas com este intuito no futuro.