Crescimento das compras online veio para ficar

e-Commercee-Marketing

A UPS divulgou os resultados do Smart E-Commerce Report 2021, evidenciando que o crescimento das compras online veio para ficar mesmo após a pandemia.

É inegável que a pandemia acelerou o crescimento do comércio eletrónico, “determinando fortemente os hábitos de compra dos consumidores que efetuam as suas aquisições através da Internet”.

A conclusão é do estudo Smart E-Commerce Report 2021, da UPS, que procura ainda ajudar os retalhistas a destacarem-se pela diferença num mercado cada vez mais competitivo.

O estudo, realizado em parceria com a YouGov, analisou os comportamentos e expectativas dos compradores online.

Segundo Sandro Pinto, Diretor Aduaneiro da UPS Portugal, “a pandemia acelerou a tendência de compras online de uma forma sem precedentes. À medida que o mercado se torna mais competitivo para as empresas de comércio eletrónico, a diferenciação, através de serviços à medida do cliente, será ainda mais essencial para aqueles que procuram destacar-se”.

Os resultados revelam um aumento de 50% no número de consumidores que tenciona efetuar “todas” ou “a maioria” das suas compras através da Internet, mesmo depois do levantamento das restrições pandémicas.

Ao mesmo tempo, 40% dos respondentes afirma que pretende comprar “tudo” ou “quase tudo” em loja, assim que as restrições forem levantadas, uma redução de 26% em relação à era pré-pandemia.

Comparando as preferências de compra pré-pandemia e pós-pandemia, as expectativas de aquisição de “tudo” ou “quase tudo” em loja “caíram 14%, passando de 54% para 40%”.

A satisfação com a compra no espaço físico (41%) e uma experiência mais pessoal (38%) continuam a levar os clientes às lojas, ao passo que a conveniência (48%) e os preços mais baixos (38%) são os principais motivadores das compras pela Internet.

O estudo da UPS revela também que a maioria dos consumidores prefere grandes retalhistas a retalhistas mais pequenos e independentes, assim como as lojas online em todas as categorias de produtos.

No entanto, metade dos consumidores (50%) afirma que “quer ajudar as pequenas empresas”.

Finalmente, 85% dos consumidores considera que a reputação da transportadora constitui um fator chave na decisão de compra, bem como a variedade de opções de entrega mais sustentáveis ​​ou alternativas (55%).

 

Read also :