Create IT lança app gratuita para deteção precoce de Covid-19 em lares e residências

Empresas

App +Próximo classifica utentes quanto ao risco associado ao seu estado de saúde, recomendando o nível de cuidados mais adequado. Objetivo é facilitar o trabalho dos profissionais e cuidadores que acompanham os utentes que pertencem ao maior grupo de risco.

Projeto teve início em Évora, está em expansão para outras regiões e conta com parcerias com a União Distrital das IPSS, Secretariado Regional da União das Misericórdias Portuguesas e Hospital do Espírito Santo, entre outras.

A Create IT, empresa portuguesa focada no desenvolvimento de sistemas multiplataforma críticos e de suporte ao negócio, acaba de lançar a +Próximo, uma aplicação gratuita para detetar precocemente situações de complicações respiratórias, no contexto da Covid-19, com o auxílio de um oxímetro.

“Disponibilizámo-nos desde a primeira hora para fazer a distribuição dos oxímetros pelos lares e demais instituições do distrito para ajudar a uma rápida operacionalização do projecto”, destaca Inácio Esperança, presidente da Federação de Bombeiros do Distrito Évora.

O oxímetro avalia de forma indireta a saturação de oxigénio no sangue. Esta aferição, com os dados registados na App, vai antecipar a identificação de possíveis casos de infeção respiratória e ajudar no combate à COVID-19. A App +Próximo permitirá assim às unidades providenciarem, de forma mais rápida, as medidas necessárias para garantir os cuidados mais adequados aos utentes.

“Enquanto comunidade, sabemos bem quão essencial é o papel dos profissionais que trabalham no dia-a-dia dos lares, residências e demais instituições, pois são eles que estão lá, todos os dias, a cuidar daqueles que nos são mais queridos, de quem guardamos as melhores memórias e para quem queremos o melhor neste momento particularmente desafiante. Contando com o enorme empenho dos profissionais em garantir o bem-estar e a segurança dos utentes, decidimos mostrar a nossa gratidão, desenvolvendo a App +Próximo para os ajudar na deteção precoce de casos de infeção respiratória, permitindo assim salvaguardar equipas e utentes”, explica Nuno Guerra, CEO da Create IT.

O objetivo da App +Próximo é ajudar os profissionais de saúde ou de apoio no acompanhamento dos utentes de lares, residências e outras instituições. As recomendações efetuadas no contexto da aplicação foram criadas com base nas indicações fornecidas pelo serviço de especialidades médicas e direção clínica do Hospital do Espírito Santo de Évora. Para obter gratuitamente a aplicação basta aceder a https://apoio.maisproximo.pt/instituicao/registo e efectuar o registo da sua instituição.

“No algoritmo da aplicação foram consideradas as patologias típicas dos utentes que pertencem a este grupo de risco (pela sua idade) por forma a permitir que, com a ajuda da app, eles cheguem no momento certo ao hospital”, refere Teresa Cardoso, diretora do serviço de pneumologia do Hospital do Espírito Santo de Évora. Luis Cavaco, vogal do Conselho de Administração do mesmo hospital salienta que “No sentido de apoiar a comunidade que servimos, acarinhámos o projeto e agradecemos a doação dos oxímetros às instituições que deles necessitam, garantindo uma rede de cuidados próxima e atenta em relação a estes grupos de risco”.

A App +Próximo reúne os critérios necessários, tanto para o pré-despiste, quanto para o acompanhamento da evolução da Covid-19 nos utentes mais vulneráveis ao vírus, que precisam de diagnóstico e acompanhamento mais próximo: os mais idosos.

“A agilidade de toda a equipa foi essencial para garantir uma rápida disponibilização da aplicação bem como a disponibilização de oxímetros às instituições do distrito que deles mais necessitavam”, diz Tiago Abalroado, presidente da direção da União Distrital das Instituições Particulares de Solidariedade Social de Évora.

Para facilitar o trabalho dos profissionais e cuidadores que acompanham os utentes, a App +Próximo permite coligir os dados, em diversas escalas, dos seguintes sintomas: tosse, febre, oxigenação, DPOC, dor de garganta e dores de cabeça e/ou musculares.

Em função dos sintomas, a aplicação classifica o utente quanto ao risco associado ao seu estado de saúde, recomendando o nível de cuidados adequado, e guarda também o histórico dos dados para acompanhar a evolução do utente. Com esta monitorização, é possível uma deteção precoce dos casos de infeção respiratória, nomeadamente pela aferição frequente da oxigenação do utente, identificando problemas respiratórios mesmo antes da apresentação de sintomas mais graves, o que permite aos profissionais e cuidadores antecipar também as ações a tomar.

“Esta iniciativa reforça a confiança e facilita o trabalho dos profissionais dos lares pois permite um acompanhamento próximo e regular da situação de cada utente”, refere Manuel Galante, Presidente do Secretariado Regional de Évora da União das Misericórdias Portuguesas.

O projeto foi lançado em Évora, conta com parcerias com entidades regionais como a União Distrital das IPSS, Secretario Regional da União das Misericórdias Portuguesas, Hospital do Espírito Santo, E.P.E. bem como de outras entidades como OutSystems, Fenacerci, UDIPSSs, Confecoop, Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo, Associação Nacional de Gerontologia Social, e está já a ser alargado a outras geografias quer por via do trabalho em rede com entidades regionais de outros distritos quer através do contacto directo com lares, residências e outras instituições em todo o país.

“É de salientar a oportunidade do projeto ter sido alargado às respostas sociais de natureza residencial para as pessoas com deficiência, que embora sendo respostas residenciais, se distinguem das respostas para idosos pela natureza dos públicos abrangidos”, refere o representante da ConfeCoop.

Read also :