Chairman da Samsung suspeito de evasão fiscal

EmpresasNegócios

Lee Kun-hee, o presidente da Samsung, foi oficialmente considerado suspeito num caso de evasão fiscal que envolve 6,15 milhões de euros e que envolviam as contas bancárias de alguns empregados da empresa.

Lee Kun-hee, o presidente da Samsung, foi oficialmente considerado suspeito num caso de evasão fiscal que envolve 6,15 milhões de euros e que envolviam as contas bancárias de alguns empregados da empresa.

Vários escândalos têm afetado a família da Samsung, a maior empresa da Coreia do Sul. Jay Y. Lee, filho de Kun-hee, foi libertado esta semana depois de um recurso ter sido aprovado pelo tribunal para reduzir a sua pena, estando agora com pena suspensa.

Lee Kun-hee está hospitalizado e Seul depois de um ataque cardíaco sofrido em 2014. A dificuldade em comunicar não está a mostrar sinais de melhora.

Segundo a polícia sul-coreana, o presidente da Samsung não poderá ser interrogado dado a sua condição física. Em comunicado, a polícia da Coreia do Sul afirmou que “o presidente da Samsung Lee Kun-hee e um executivo da Samsung geriram fundos em 260 contas bancárias sob os nomes de 72 executivos, suspeitando-se de evasão fiscal no valor de 8,2 mil milhões de wons”, cerca de 6,15 milhões de euros.

A polícia descobriu estas contas, que teriam perto de 400 mil milhões de wons, perto de 300 milhões de euros, durante uma investigação a um alegado pagamento impróprio para a renovação da residência da família de Lee.

Desde que Lee Kun-hee sofreu o ataque cardíaco que tem sido o seu filho, Jay Y. Lee, a estar à frente da empresa.

Read also :

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor