Cellnex adquire Omtel em Portugal

Negócios

A Omtel opera três mil infraestruturas e prevê a instalação de 400 adicionais nos próximos quatro anos. O acordo valoriza a empresa em 800 milhões de euros.

A Cellnex chegou a acordo com a Altice Europe e a Belmont Infra Holding’s para a aquisição de 100% do operador português de torres de telecomunicações Omtel por um valor equivalente da empresa de 800 milhões de euros. A aquisição contempla igualmente a instalação de 400 novas infraestruturas nos próximos quatro anos.

Tendo em conta a evolução do mercado português e o desenvolvimento da rede 5G, os planos de crescimento da Cellnex estimam que o programa de construção de novas infraestruturas (BTS) poderá́ ser atualizado com a construção de 350 infraestruturas adicionais até 2027. O investimento estimado para o plano do construção (contratado e previsto) é de € 140 milhões de euros.

A Omtel opera atualmente três mil infraestruturas em Portugal, o qual passa a ser o oitavo país da Europa onde a Cellnex exerce a sua atividade. A Omtel gere um atrativo portefólio de infraestruturas que representam aproximadamente 25% das torres de telecomunicações do mercado português. Os contratos da Omtel com os seus clientes têm uma duração média de 20 anos com períodos adicionais de 5 anos, sendo o principal a Portugal Telecom (Meo).

Uma vez finalizada a integração da Omtel e concluída a construção das novas infraestruturas estima-se que o EBITDA1 adicional gerado para o Grupo seja de 90 milhões de euros. A aquisição e os futuros investimentos serão financiados com a disponibilidade de caixa do grupo Cellnex e os fluxos de caixa gerados pela própria empresa.

Com esta operação, as vendas futuras contratadas da Cellnex (backlog) cresceram 2,5 bilhões de euros, totalizando 38,5 bilhões.

“Com a Omtel integramos não só́ um dos principais operadores independentes de infraestruturas de telecomunicações em Portugal. Estamos também comprometidos com um crescimento consistente na Europa, integrando um oitavo mercado – o qual estende de modo natural a atual cobertura geográfica dos sete países em que já́ operamos, e neste caso em especial devido à proximidade e sinergias operacionais que poderão resultar com o Grupo em Espanha. Passamos também a contar com um novo cliente, a Meo, que ocupa uma posição de liderança no seu mercado e passa a fazer parte do importante e diversificado mix de clientes que temos na Europa, nos quais se incluem os operadores lideres nos mercados em que operamos”, referiu Tobias Martínez, CEO da Cellnex, quando anunciou o acordo.

O momento em que se concretiza esta transação coincide com o desenvolvimento da tecnologia 5G o que, a par dos restantes mercados nos quais opera a Cellnex, exigirá a densificação e o desenvolvimento eficiente da rede de forma a que um operador neutro e independente, como a Cellnex, possa propor soluções atrativas para os operadores de rede móvel tanto na perspetiva de custos como na rapidez de execução.

Primeira operação de crescimento em 2020 que se soma a um ano 2019 transformador

Em 2019 a Cellnex celebrou vários acordos de aquisição de ativos e empresas os quais, uma vez fechados e executados todos os programas que lhes estão associados de construção de novas infraestruturas, implicam um aumento de mais de 28.000 infraestruturas na atual carteira de ativos nos oito países europeus em que a empresa está presente.

No primeiro semestre de 2019, a Cellnex assinou acordos de colaboração estratégica a longo prazo com a Iliad – em França e em Itália – e com a Salt na Suíça para adquirir 10.700 infraestruturas (5.700 em França, 2.200 em Itália e 2.800 na Suíça) e levar a cabo um programa de construção (BTS) de 4.000 novas infraestruturas até 2027 (2.500 em França e 1.000 em Itália para a Iliad, e 500 para a Salt na Suíça). Com um investimento total previsto de quase 4.000 milhões de euros (2.700 milhões de euros para a aquisição de infraestruturas e 1.350 milhões de euros para os programas BTS).

Em junho a Cellnex e a BT anunciaram a assinatura de um acordo estratégico de colaboração a longo prazo através do qual a Cellnex adquiriu os direitos de exploração e de comercialização de 220 torres de telecomunicações no Reino Unido.

Em setembro a Cellnex anunciou a aquisição da Cignal na Irlanda, um dos principais operadores irlandeses de infraestruturas de telecomunicações, por um total de 210 milhões de euros. A Cignal opera 546 infraestruturas na Irlanda, tendo-se convertido no sétimo país europeu no qual passou a operar a Cellnex. Além disso a empresa prevê a construção de 600 novas infraestruturas até 2026, com um investimento adicional estimado de 60 milhões de euros.

Em outubro a Cellnex anunciou o acordo para adquirir a divisão de infraestruturas de Telecomunicações da empresa inglesa Arqiva por aprox. 2.000 milhões de libras esterlinas. A operação implica a aquisição de 7.400 infraestruturas e os direitos de comercialização de aprox.900 infraestruturas no Reino Unido. Também inclui concessões de uso do mobiliário urbano para o desenvolvimento de infraestruturas de telecomunicações em 14 distritos de Londres, um ativo chave para a densificação e lançamento da rede 5G. O fecho desta transação (a qual está sujeita a autorização por parte da respectiva autoridade da concorrência tal como sujeita a outras condições suspensivas), está previsto para o segundo semestre de 2020.

Em dezembro a Cellnex anunciou a compra de 1.500 infraestruturas à Orange Espanha o que implica um investimento de 260 milhões de euros. A Cellnex passará a gerir estas torres e antenas , as quaisa Orange continuará a utilizar por um período inicial de 10 anos, renovável por um período adicional de 10 anos e sucessivamente por períodos de 1 ano.

Desde a OPV em 2015, a Cellnex executou ou autorizou investimentos no valor aproximado de 12.000 milhões de euros destinados à aquisição ou construção –até ao ano de 2027– de cerca de 48.000 infraestruturas de telecomunicações, as quais se somam às cerca de 10.000 infraestruturas que a empresa já operava na altura, alcançando o número total de 58.000 infraestruturas.