Zurich identifica sete riscos cibernéticos

Segurança

O Relatório de Riscos Cibernéticos da Zurich, elaborado em colaboração com o Atlantic Council, argumenta que os profissionais de gestão de riscos cibernéticos não se devem limitar a observar as suas proteções internas de tecnologia da informação. A Zurich alerta que o aumento desses riscos pode criar uma falha em escala semelhante à crise financeira

O Relatório de Riscos Cibernéticos da Zurich, elaborado em colaboração com o Atlantic Council, argumenta que os profissionais de gestão de riscos cibernéticos não se devem limitar a observar as suas proteções internas de tecnologia da informação.

mobile-app-securityA Zurich alerta que o aumento desses riscos pode criar uma falha em escala semelhante à crise financeira de 2008. Os riscos interligados são agravados quando uma empresa externaliza a gestão dos seus servidores, da tecnologia da informação e da segurança cibernética.

O relatório sugere que as organizações incorporem as melhores ideias da gestão corporativa como, por exemplo, a criação de um Conselho de Estabilidade Cibernética G20+20 para aperfeiçoar a gestão de riscos cibernéticos e identificar e melhorar a gestão das G-SIIOS.

Axel Lehmann, Chief Risk Officer do Grupo Zurich, declara que “a Internet é o sistema mais complexo de todos os tempos que a humanidade já criou”, acrescentando que “apesar de se ter mantido extremamente resiliente nas últimas décadas, o risco reside na complexidade daquilo que tornou o ciberespaço relativamente livre de riscos, e isso pode ter, e provavelmente terá, o efeito contrário.”

“As organizações estão involuntariamente expostas a riscos externos, tendo-se externalizado, interligado ou exposto a um incompreensível, e cada vez mais complexo, entrelaçamento de redes”, completa Lehmann.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor