ZTE aposta em smartphones de alta qualidade

MobilidadeNegóciosOperadoresRedesSmartphones

A empresa de telecomunicações chinesa ZTE está a planear investir veementemente em smartphones de alta qualidade, uma manobra que, espera, deverá potenciar o número de remessas globais de dispositivos em um terço no próximo ano, conquistando, assim, uma posição favorável para competir com a Apple e a Samsung no mercado chinês. A ZTE está entre

A empresa de telecomunicações chinesa ZTE está a planear investir veementemente em smartphones de alta qualidade, uma manobra que, espera, deverá potenciar o número de remessas globais de dispositivos em um terço no próximo ano, conquistando, assim, uma posição favorável para competir com a Apple e a Samsung no mercado chinês.

ZTE nubia 5

A ZTE está entre as várias fabricantes chinesas de smartphones que estão a deixar uma marca cada vez mais proeminente na esfera dos dispositivo de alta qualidade, visto que a concorrência emagreceu de tal maneira as suas margens que estas empresas tiveram que procurar novas fontes de rendimento, para além dos seus já não tão rentáveis telemóveis low-end.

Em 2012, a ZTE, que ocupa o nono lugar no ranking das maiores vendedoras de smartphones em todo o mundo, apresentou ao mundo pela primeira vez a sua própria marca de dispositivos móveis chamada Nubia.

“Vamos produzir cada vez mais smartphones premium”, assegurou hoje Zeng Xuezong, vice-presidente executivo da ZTE, à Reuters.

Sediada em Shenzhen, a ZTE é também fabricante de equipamentos para redes de telecomunicações, e quer que até 2016 as remessas de smartphones atinjam os cem milhões, visto em 2013 terem chegado aos 40 milhões, e esperando que este ano alcancem os 60 milhões, e os 80 milhões em 2015.

“Depois dos nossos esforços nos últimos dois anos, acredito que a visibilidade e o grau de aceitação da nossa marca possam rivalizar com os da Apple e da Samsung na China”, afirmou Zeng.

O surgimento da quarta geração de tecnologia de telecomunicações móveis (4G) no maior mercado mobile do mundo deverá, segundo Zeng, instigar a procura por dispositivos compatíveis, o que significa que pelo menos 60 por cento das remessas de smartphones previstas pela ZTE para o próximo ano deverão já integrar esta nova tecnologia.

Em abril, a ZTE dissera à Reuters que o volume das remessas da sua série Nubia será três vezes superior ao do passado ano de 2013.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor