YouTube revela dados sobre combate aos conteúdos extremistas online

NegóciosProjetosSegurança

O serviço de streaming apresentou há cerca de um mês novas formas para combater conteúdos extremistas e terroristas online na sua plataforma.  Estes permitiram uma melhor identificação e remoção mais rápida conduzida por tecnologia de machine learning com ajuda de alertas de mais especialistas sobre conteúdos que necessitavam de ser revistos assim como, regras mais duras para vídeos que são controversos. Agora, o YouTube anuncia os primeiros resultados.

Assim, a plataforma afirma que consegue não só identificar melhor os contéudos como de forma mais rápida graças a novos algoritmos de machine learning. De acordo com o YouTube, 75% dos vídeo removidos no mês passado, por extremismo violento, foram retirados antes do serviço ter recebido denúncias de utilizadores.

A precisão também aumentou com a empresa a afirmar que “embora estas ferramentas não sejam perfeitas, em muitos dos casos, os nossos sistemas têm demonstrado uma maior precisão que os humanos no que diz respeito à denúncia dos vídeos que precisam de ser removidos.”

Outro dos pontos destacados foi a escala. A cada minuto são carregados cerca de 400 horas de conteúdo no YouTube e a nova tecnologia de machine learning  permitiu que o número de vídeos removidos por extremismo violento seja mais do dobro do que anteriormente.

A companhia refere que está a recrutar mais pessoas para ajudar na revisão e reforço das suas políticas e que vai continuar a investir em recursos técnicos para ser cada vez mais eficiente. A plataforma já trabalha com 15 ONGs e instituições de especialistas através do programa Trusted Flagger, incluindo a Liga Antidifamação, o Movimento Contra o Discurso de Ódio, e o Institute for Strategic Dialogue, mas quer alargar este número.

Além disso, o YouTube indicou que vai aplicar um tratamento mais rígido aos vídeos que não são ilegais, mas que foram denunciados como potenciais violações da políticas de discurso de ódio e extremismo violento. Se for considerado que os vídeos não violam as políticas mas que contêm conteúdo controverso religioso ou supremacista, os mesmos serão colocados num estado limitado. Os vídeos vão permanecer na plataforma mas com um aviso, não serão recomendados nem monetizados e não terão recursos essenciais, incluindo comentários e gostos. Esta funcionalidade vai estar disponível em breve na versão desktop e depois avançará para a app mobile.

Por último, o serviço começou a implementar as funcionalidades de Jigsaw’s Redirect Method e, assim, quando as pessoas pesquisarem palavras-chave sensíveis no YouTube serão redireccionadas para uma lista de reprodução de vídeos de curadoria da plataforma que directamente confronta e desconsidera mensagens com conteúdo extremista e violento


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor