Yahoo revela mais informações sobre o último ataque

EmpresasNegóciosSegurança

A Yahoo revelou recentemente mais informações sobre o ataque que nos últimos dias visou sobretudo os utilizadores europeus dos serviços da empresa e deu conselhos de segurança às possíveis vítimas deste ataque à sua rede de anúncios. Os conselhos de segurança dados pela empresa dão sinal da gravidade da situação. A Yahoo começou por desvalorizar o

A Yahoo revelou recentemente mais informações sobre o ataque que nos últimos dias visou sobretudo os utilizadores europeus dos serviços da empresa e deu conselhos de segurança às possíveis vítimas deste ataque à sua rede de anúncios.

Earns YahooOs conselhos de segurança dados pela empresa dão sinal da gravidade da situação. A Yahoo começou por desvalorizar o ataque mas depois acabou por assumir que identificou mal o período em que o malware esteve ativo e a própria abrangência geográfica do problema.

Numa nota, a empresa garante agora que a conta comprometida que deu origem ao problema já foi desativada e assegura que está a trabalhar com as autoridades na investigação da questão. A Yahoo adianta ainda que afinal o malware esteve ativo entre os dias 27 de dezembro e 3 de janeiro e acrescenta que podem não ter sido apenas os utilizadores europeus as vítimas do ataque.

“Uma pequena fração de utilizadores fora da região pode ter sido visada pelo problema”, admite a companhia norte-americana.

A Yahoo recomenda a todas as possíveis vítimas do ataque que garantam que o computador tem as últimas atualizações instaladas, que atualizem o PC com as últimas versões do software Java e Adobe e que usem um antivírus.

O ataque aos sites da Yahoo pode ter afetado cerca de dois milhões de utilizadores de serviços da empresa, como o correio eletrónico ou a plataforma de mensagens instantâneas. O malware esteve escondido durante vários dias em anúncios que eram exibidos ao utilizador quando este navegava nas páginas da empresa, redirecionando-o para outras páginas infetadas e prontas a instalar código no PC das vítimas.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor