Xiaomi move dados para fora da China

CloudData CenterMobilidade

A Xiaomi, fabricante de smartphones chinesa, está a mover os dados de clientes e as suas plataformas de Internet para servidores fora da China, isto acontece apenas alguns meses depois da empresa pedir desculpas sobre preocupações com a privacidade. Desde o início deste ano, a Xiaomi está a retirar os dados do país como uma

A Xiaomi, fabricante de smartphones chinesa, está a mover os dados de clientes e as suas plataformas de Internet para servidores fora da China, isto acontece apenas alguns meses depois da empresa pedir desculpas sobre preocupações com a privacidade.

xiaomi l

Desde o início deste ano, a Xiaomi está a retirar os dados do país como uma forma de “reduzir a latência e as taxas de falhas” para os seus clientes em todo o mundo, disse o vice-presidente da empresa, Hugo Barra num post on-line.

A Xiaomi expande-se agressivamente fora da China após emergir como uma das maiores fabricantes de smartphones no seu mercado doméstico. A sua crescente presença internacional também trouxe novas inspeções na empresa, incluindo as preocupações sobre as suas políticas de privacidade.

Em agosto, os media locais de Taiwan e especialistas em segurança descobriram que telefones Xiaomi tinham enviado dados para um servidor da empresa sem a permissão dos utilizadores. A empresa mais tarde pediu desculpas e introduziu alterações ao seu software do smartphone.

As preocupações têm uma sensibilidade adicional, uma vez que a Xiaomi é baseada na China, um país que tem sido criticado pelas suas rígidas políticas de censura, e por supostamente realizar ataques de hackers contra empresas e outros governos.

Hugo Barra afirmou que a empresa está a mover as suas plataformas de e-commerce internacionais de Pequim para os data centers da Amazon, na Califórnia e Cingapura. Esta mudança vai estar concluída no final deste mês, e irá melhorar a velocidade de carregamento de websites em mercados como Hong Kong, Taiwan e Índia.

Além disso, a Xiaomi começou a mover os serviços internacionais para o seu sistema operacional Android customizado, MIUI, de Pequim para os centros de dados da Amazon em Oregon e em Cingapura, com a data de conclusão marcada para o final de 2014.

No próximo ano, a empresa estará a trabalhar com provedores de data center locais na Índia e no Brasil para hospedar serviços de atendimento para esses mercados.

A empresa chinesa anunciou em abril que pretende expandir-se para dez mercados estrangeiros, inclusive a Rússia, México e Indonésia.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor