Web Summit | Wi-Fi falhou no palco: quem teve culpa?

MobilidadeOperadoresRedes
0 0 Sem Comentários

Na cerimônia oficial de abertura do Web Summit, em Lisboa, Paddy Cosgrave enfrentou um problema irônico: seu celular não conectava com a rede Wi-Fi. O fundador estava tentando fazer uma demonstração ao vivo perante uma audiência de 15 mil pessoas.

Cosgrave não conseguiu realizar a demo e esse incidente gerou polêmica, por causa das operadoras envolvidas. No ecrã do smartphone do líder do Web Summit era visível a marca da Vodafone. Mas a operadora britânica não é provedora oficial de comunicações do evento; é a Portugal Telecom. E isso levou a Vodafone a emitir um esclarecimento a esse episódio caricato, naquele que é o maior evento de inovação do mundo.

“Como é do conhecimento público, a Vodafone não é o operador responsável por assegurar as comunicações do Web Summit. Assim, os problemas técnicos que se verificaram durante a ligação em Wi-Fi não podem, em qualquer circunstância, ser inputados à Vodafone”, referiu a marca, em uma release.

“A referência à Vodafone vísivel no ecrã do telemóvel de Paddy Cosgrave diz respeito à rede móvel em que o equipamento estava registrado“, esclarece a operadora. “No entanto, na altura da demonstração, o fundador do Web Summit estava utilizando a rede Wi-Fi disponível no local do evento. Importa reforçar que sempre que o Wi-Fi está ligado, a utilização de dados nunca é feita pela rede móvel na qual o telemóvel está registrado.”

A operadora sublinha ainda que reforçou sua rede, “de forma a garantir a entrega de um serviço de elevada qualidade aos visitantes deste evento.”

A abertura do primeiro Web Summit em Lisboa também ficou marcada por confusão na admissão de participantes, com muita gente sendo impedida de entrar, por falta de capacidade, apesar de ter ingresso para o evento.

Por opção editorial este texto foi escrito em português do Brasil

Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor