Web Summit | Inovação na Ericsson

Big DataData-StorageInovação
0 0 Sem Comentários

Charlotta Sund da Ericsson apresentou, no palco Autotech da Web Summit, a sua leitura das sociedades conetadas e as necessidades da empresa sueca na corrida da tecnologia.

Na palestra “The networked society”, Sund falou da aposta da Ericsson em tornar as máquinas cada vez mais inteligentes com o IoT e que os diferentes setores  devem trabalhar juntos em problemas comuns a várias áreas.  

A colaboração é importante para a inovação. Mesmo em indústrias diferentes que passam a trabalhar juntas para abraçar toda a tecnologia, para criar inovação.” disse a executiva. A perita em Internet das Coisas exemplificou que na Ericsson trabalham em colaboração com empresas de transportes e meios de comunicação social.

A sociedade interligada “conetou 5 mil milhões de pessoas em 25 anos”. No entanto, segundo  Sund, “apenas neste ano de 2016, o IoT vai crescer 30%. Passamos de um mundo M2M para um mundo onde as coisas estão conetadas e cada vez mais inteligentes. É o grande boom do IoT”.

Para as empresas, compreender a importância da informação levou que as decisões de tecnologia passassem a ser tomadas nas salas de administração. “O Big Data ajuda-te a perceber o mercado, a concorrência e dá-te novas ideias de construção de ecossistemas” explicou Charlotte Sund.

As empresas tem de “abraçar o IoT” para puderem beneficiar do impacto económico que se prevê que este tipo de tecnologia tenha no futuro.

Na Ericsson, contou Sund, existe 4 pontos que mostram a necessidade de ser inovativo. A inovação ajuda no aumento da produtividade, na melhoria da segurança da informação e para compreender novos modelos de negócios e ecossistemas. A empresa trabalha agora na evolução do 5G e em parceria com a ABB em robots que operem remotamente nas produções para “centrar a competência e operar de forma mais eficiente”.