Vodafone expande capacidades M2M com compra da italiana Cobra

NegóciosOperadoresRedes

A gigante britânica das telecomunicações Vodafone acordou em comprar, por 145 milhões de euros, a empresa de soluções de segurança e de telemática Cobra Automotive Technologies para potenciar as suas capacidades machine-to-machine (M2M). Este negócio, tido como parte de uma estratégia da Vodafone para conectar milhões de dispositivos, como carros e outros aparelhos, vai permitir

A gigante britânica das telecomunicações Vodafone acordou em comprar, por 145 milhões de euros, a empresa de soluções de segurança e de telemática Cobra Automotive Technologies para potenciar as suas capacidades machine-to-machine (M2M).

machine to machine

Este negócio, tido como parte de uma estratégia da Vodafone para conectar milhões de dispositivos, como carros e outros aparelhos, vai permitir que a operadora possa oferecer um mais amplo espectro de serviços aos seus clientes das áreas automóvel e de seguros.

À semelhança de muitas outras empresas de telecomunicações móveis, a Vodafone está determinada a estender-se e a marcar a sua presença na indústria machine-to-machine (M2M), para criar redes de  intercomunicação de dispositivos dentro de cada um dos setores, nomeadamente o dos cuidados de saúde, o automóvel, o dos transportes e o energético.

Um exemplo prático e já em utilização da tecnologia M2M são os medidores inteligentes que monitorizam o consumo energético doméstico.

A Vodafone avançou que iria oferecer 1,49 euros por cada uma das ações, incluindo as dos acionistas do grupo italiano.

O acionista maioritário da Cobra Automotive Technologies, o Intek Group, afirmou que venderia a sua participação de 51,4 por cento por 74,3 milhões de euros.

“A combinação da Vodafone com a Cobra irá criar  uma nova fornecedora global de serviços de conexão automóvel”, declarou Erik Brenneis, diretor de M2M da Vodafone, acrescentando que a operadora está a planear apostar no desenvolvimento de uma oferta que integre um mais amplo espectro de serviços de telemáticos tanto para os clientes do setor automóvel como o para os clientes da área dos seguros.

A materialização deste negócio está ainda dependente da aprovação das devidas autoridades reguladoras, mas adivinha-se que estará finalizado no terceiro trimestre deste ano.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor