Virtualização continua a ser estratégica e está a crescer

CloudEmpresasInovaçãoInvestigaçãoNegóciosVirtualização
0 39 Sem Comentários

O estudo da Red Hat revela que a virtualização continua a crescer e a ser vista como fiável por 79% dos inquiridos. A elevada disponibilidade e o desemprenho foram consideradas das capacidades mais importantes seguidas de perto pela segurança e escalabilidade.

A Red Hat realizou um estudo recente que demonstra que a adoção da virtualização continua a aumentar no seio das empresas. O inquérito online analisou o uso e as tendências de virtualização de mais de 900 administradores TI, arquitetos de sistemas e gestores de TI de empresas em vários sectores e regiões geográficas.

Nesta pesquisa ficou claro que a maior parte dos inquiridos está a utilizar a virtualização para impulsionar a consolidação de servidores, aumentar o tempo de provisionamento e fornecer uma infraestrutura para os programadores construírem e implementarem aplicações. Em relação à principal preocupação continua a ser o custo e a sua redução que apresenta-se como o principal desafio.

Embora possa parecer estranho que o custo seja tanto uma vantagem como um desafio a Red Hat garante que “é tudo uma questão de contexto” visto que “a longo prazo, a virtualização pode poupar dinheiro às empresas”, acrescenta no press realese.

Os inquiridos esperam que ao longo dos próximos dois anos consigam aumentar tanto a infraestrutura virtualizada como os volumes de trabalho virtualizado. Em relação aos volumes de trabalho os mais comuns entre os inquiridos foram as aplicações Web que incluem os websites, os servidores de aplicações web e as bases de dados.

Tendo em conta este estudo a Red Hat refere em press realese que “as vantagens tradicionais da virtualização, desde a redução das despesas gerais até à menos pegada do data center, continuam a fazer sentido”. Segundo os inquiridos as três principais vantagens de virtualização de hoje em dia são o provisionamento de servidores mais rápido, vantagens económicas e consolidação de servidores.

Para além disso o estudo revela que os líderes TI não contam que a virtualização traga surpresas inesperadas no que diz respeito ao funcionamento, considerando-a uma tecnologia fiável e altamente disponível. Contudo, quando questionados acerca das tecnologias que usariam para implementações no lugar da virtualização nos próximos dois anos, os mais escolhidos foram a cloud privada e os containers. Estas escolhas revelam que os inquiridos trabalham com o objetivo de otimizar as TI existentes enquanto constroem novos volumes de trabalho ou infraestruturas nativas da cloud.

O estudo da Red Hat conclui que “a virtualização parece ter cindo para ficar.” Os volumes de trabalho e as infraestruturas aumentaram 18% ao longo de dois anos e a Red Hat considera seguro dizer que “os inquiridos estão empenhados numa estratégia de virtualização. Para além disso, o crescimento não acontece só na virtualização de servidores pois os inquiridos também prevêem um relevo na virtualização das redes e do armazenamento ao longo dos próximos quatro anos.