Vendas de PC continuam a cair e parece não haver salvação à vista

EscritórioPC

O mercado de computadores continua em trajetória descendente. Uma investigação da Gartner revelou que no segundo trimestre de 2015, as vendas de PC atingiram o valor mais baixo dos últimos dois anos.

Somente 68,4 milhões de computadores pessoais foram vendidos no segundo quartel deste ano, representando uma queda de 9,5 por cento face ao mesmo período de 2014. A consultora diz que esta é maior queda das remessas de PC desde o terceiro trimestre de 2013. Está prevista um declínio de 4,4 por cento nas vendas de 2015.

A Gartner mostra que a Lenovo e a HP estão na liderança do mercado dos PC, com quotas de mercado de 19,7 por cento e 17,4 por cento, respectivamente, no segundo trimestre.

Uma analista da consultora, Mikako Kitagawa, diz que o crescimento do mercado dos PC que se registou em 2014 foi causa direta do fim do suporte fornecido ao Windows XP da Microsoft, com a renovação das frotas de computadores. A responsável afirma que após o esmorecimento do impacto do XP, não houve nenhum outro fator que revitalizasse significativamente o mercado dos PC, o que levou à sua queda.

No entanto, o lançamento do Windows 10, planeado para 29 de julho (embora só deva ser disseminado para a maior parte dos utilizadores a partir de agosto), poderá soprar algum ar para os pulmões do mercado dos computadores já este ano.

A mobilidade é a grande inimiga dos PC, com um portfólio cada vez mais amplo de dispositivos móveis, como smartphones, tablet e wearables. A depressão do valor do mercado tem infligido sérios e profundos golpes nas empresas cujos negócios se apoiam em processadores, software e hardware para PC.

Citado pelo Wall Street Journal, Dean McCarron, analista da Mercury Research, profetizou que o impacto que o novo sistema operativo responsive da Microsoft terá ao nível do mercado dos computadores pessoais será bastante reduzido.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor