Venda de tablets volta a cair, mas iPad Pro bate Surface

MobilidadeTablets
0 0 Sem Comentários

A Apple continua a liderar o mercado mundial de tablets, apesar da contração continuada das vendas, que se manteve no primeiro trimestre. O que o novo relatório da IDC mostra sobre o mercado é que o iPad Pro com teclado lidera o segmento dos tablets “destacáveis.”

Ests “detachables” são tablets que se conectam a um teclado e assumem um papel de substituição do portátil tradicional. A IDC diz mesmo que a Apple “venceu a Microsoft no seu próprio jogo”, ao disparar para o topo do mercado com o lançamento do iPad Pro, em novembro do ano passado, juntamente com uma capa-teclado e uma caneta (Apple Pencil).

“A Microsoft criou o mercado dos tablets destacáveis com o lançamento da sua linha de produtos Surface”, lembra o analista sénior Jitesh Ubrani. “Com a indústria dos computadores em declínio, o mercado dos destacáveis vai beneficiar, já que consumidores e empresas procuram substituir os seus PC obsoletos com estes formatos”, indica Ubrani. O especialista diz que “a recente entrada da Apple neste segmento garantiu-lhe uma liderança impressionante no curto prazo”, mas sublinha que haverá desafios no longo prazo. Porquê? “Os preços mais elevados afastam consumidores e o iOS ainda tem de provar a sua adequação para as empresas, deixando bastante espaço para a Microsoft e os seus parceiros de hardware para se restabelecerem.”

No primeiro trimestre, foram vendidos 4,9 milhões de tablets destacáveis, um crescimento a três dígitos que contrariou a tendência geral do mercado – as vendas totais declinaram 14,7% para 39,6 milhões. A IDC culpa a sazonalidade deste período e o desinteresse dos consumidores.

Isto acabou por levar marcas como a Samsung e a Huawei a lançarem também os seus formatos destacáveis. O sucesso é que não é garantido: os analistas da consultora referem que situar estes aparelhos na gama média de preços tornará difícil a adesão, porque os consumidores que querem performance vão procurar tablets tipo Surface, e os que não querem gastar muito dinheiro vão optar por marcas low cost. É neste formato (slate) que se encontra a maioria dos tablets vendidos, 87,6%.

Ranking de fabricantes

Em termos de quotas de mercado, a Apple lidera com 25,9%, apesar do declínio em número de unidades (18,8%), e a Samsung está em segundo lugar com 15,2%, tendo apresentado uma quebra ainda mais premente (28,1%). Quem ganhou foi a Amazon, com um salto espectacular de 5422% para a terceira posição, 5,7% de quota e 2,2 milhões de unidades vendidas. A Lenovo está em quarto e a Huawei em quinto.

“O domínio da Apple no mercado geral não surpreende”, refere a IDC, avisando que o futuro do iPad será relegado para substituição, de tablets mais antigos ou PCs e não novos clientes. “O recente iPad Pro 9,7” e as opções de armazenamento mais amigas das empresas para o iPad Pro 12,9” são adições saudáveis ao lineup”, comenta a consultora. Quanto à Samsung, o TabPro S teve uma receção “tépida” devido ao preço elevado, embora a IDC note que a linha Galaxy Tab continua a ter um bom desempenho.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor