Venda de wearables em Portugal ainda é residual

InovaçãoMobilidadeSmartphonesWearable

Apesar de em 2015 terem sido vendidos em Portugal 117 mil wearables – um crescimento de 276% nas vendas em relação ao mesmo período de 2014 – ainda representa 4% das vendas totais de smartphones.

De acordo com os números preliminares do estudo “IDC European Quarterly Wearables Tracker”, divulgado hoje, os wearables básicos (pulseiras fitness para monitorizar a actividade física) representaram 70% do total de unidades vendidas em 2015, com as vendas a crescer 256% face ao ano anterior. Os wearables inteligentes, como por exemplo os smartwatches, representaram 30% das vendas totais e verificaram um crescimento de 334% face ao ano de 2014.

O mercado português de wearables ainda é bastante incipiente. Em 2015, as vendas de wearables representaram apenas 4% das vendas totais de smartphones, ou seja, foram vendidos 321 wearables por dia em 2015, um número significativamente inferior aos cerca de 8.000 smartphones que se venderam em média, por dia, no ano passado. A limitada oferta de produtos e o quase total desconhecimento por parte dos consumidores das capacidades e valor destes produtos, leva a que o mercado ainda seja reduzido. Contudo verificou-se um crescimento sustentado das vendas em cada um dos trimestres, fruto do aumento da oferta de produtos por parte dos vários canais de venda e do aumento do investimento em marketing por parte dos fabricantes”, afirma Francisco Jerónimo, director europeu de research da area de terminais móveis da IDC.

Apesar dos wearables básicos representarem a maior fatia do mercado, a IDC estima que o grande potencial de crescimento está nos wearables inteligentes, em particular os smartwatches. Estes produtos permitem a instalação de aplicações, o que vai aumentar as funcionalidades disponíveis e estender o acesso aos conteúdos dos smartphones para o pulso.

A IDC estima que o número de wearables vendidos em 2016 em Portugal ultrapasse as 170 mil unidades, um crescimento de 46% face a 2015. Contudo os smartwatches deverão crescer 68% face ao ano anterior, em muito impulsionados pelas vendas do Apple Watch.

A Apple tornou-se o maior fabricante mundial de smartwatches em 2015, após o lançamento do Apple Watch em Abril, com uma quota de mercado de 61%. As vendas mundiais do fabricante nesta categoria atingiram 13 milhões de unidades a nível mundial e cerca de 5.2 milhões na Europa.

A IDC estima que a Apple venda em Portugal cerca de 11.700 unidades do Apple Watch em 2016, o que permitirá tornar-se o líder de mercado, com uma quota de 24%.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor