UPS também quer distribuir correio com drones

EmpresasNegócios

Depois da Amazon ter anunciado a sua intenção de implementar um sistema de entrega por drones, chamado Prime Air, chega agora a notícia de que também a UPS está a pensar em desenvolver uma tecnologia parecida. A empresa de distribuição está já em testes com drones para a entrega rápida de encomendas. “A UPS considera

Depois da Amazon ter anunciado a sua intenção de implementar um sistema de entrega por drones, chamado Prime Air, chega agora a notícia de que também a UPS está a pensar em desenvolver uma tecnologia parecida.

7915275334_53aaf2e04e_bA empresa de distribuição está já em testes com drones para a entrega rápida de encomendas. “A UPS considera que o uso comercial de drones é interessante e que a empresa está a avaliar o cenário”, revela um porta-voz da empresa.

A United Parcel Service ainda está em fase de estudos das propostas e não avançou muito sobre o assunto. No entanto, já confirmou as pesquisas relacionadas aos drones. Deste modo, os envios por robôs voadores estão nos planos para o futuro.

Mas tanto a UPS como a Amazon ainda estão bastante cautelosas quanto ao anúncio de datas para começarem a entregar encomendas com drones. O timing do anúncio da Amazon foi coordenado com a Cyber Monday, garantindo publicidade gratuita à empresa.

A Amazon promete entregas no prazo máximo de meia hora para endereços localizados até 16 km dos centros de distribuição da empresa. Todo o processo seria feito de forma automatizada, reduzindo custos com logística e mão de obra.

A UPS pode usar drones para fazer entregas diretamente ao público final ou apenas para mover artigos dentro dos seus armazéns, ou entre centros de logística. Mas ainda é relativamente cedo para se perceber se a entrega final ao consumidor possa também ser feita por drones, pois as empresas vão ter de estudar o impacto operacional e legal de todo este processo.

As duas empresas podem ter uma frota de drones pronta em 18 a 24 meses, mas é preciso melhorar a deteção de objetos e evitar essas colisões, já que só as coordenadas de GPS não são suficientes para evitar carros ou crianças que se atravessem no caminho.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor