Unify vai despedir metade dos seus funcionários

EmpregoGestãoNegóciosSoftware

A antiga Siemens Enterprise Communications (e atual Unify) vai fazer mudanças estratégicas para modernizar a organização e centrar-se no desenvolvimento, integração e serviços de software. Estes planos implicam uma restruturação mundial que dará origem ao despedimento de 3.800 pessoas – a Uniify tem atualmente 7.700 funcionários – com a Europa Central a ser responsável por

A antiga Siemens Enterprise Communications (e atual Unify) vai fazer mudanças estratégicas para modernizar a organização e centrar-se no desenvolvimento, integração e serviços de software. Estes planos implicam uma restruturação mundial que dará origem ao despedimento de 3.800 pessoas – a Uniify tem atualmente 7.700 funcionários – com a Europa Central a ser responsável por 50% dos cortes.

unify_billboard

Com a restruturação, haverá a consolidação de delegações em todo o mundo, incluindo a nível de sedes centrais.

Estas mudanças pretendem ajudar a Unify a adaptar-se melhor às dinâmicas do mercado, já que, hoje em dia, existem mudanças significativas na utilização de ferramentas de colaboração e comunicação dentro das empresas, uma crescente adoção de soluções baseadas em cloud e uma quantidade igualmente crescente de fornecedores de soluções baseadas em software. Ou seja, a Unify está a acelerar o seu processo de transição para deixar de ser um fabricante tradicional de hardware e assumir-se como uma empresa de software e serviços de comunicação e colaboração.

Assim, a Unify quer simplificar a sua oferta de OpenScape e oferecer serviços de valor acrescentado, seja através de parceiros ou de forma direta. A empresa está também a construir uma equipa de gestão de parceiros e um programa de canal para melhorar a sua cobertura do mercado, tanto em pequenas e médias empresas como em grandes corporações.

A companhia também deposita grandes esperanças no Projeto Ansible, uma plataforma de comunicação e colaboração que será disponibilizada num modelo de SaaS a partir de Outubro.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor