Unidade de servidores da IBM cobiçada por Dell e Lenovo

Business IntelligenceData-StorageNegócios

A unidade de servidores da IBM está a ser cobiçada pela Dell e pela Lenovo. A Lenovo já admitiu estar em vias de fazer uma aquisição e os próximos tempos poderão revelar se a unidade de servidores da IBM é mesmo o alvo da operação. Depois de ter adquirido a unidade de PC da IBM

A unidade de servidores da IBM está a ser cobiçada pela Dell e pela Lenovo. A Lenovo já admitiu estar em vias de fazer uma aquisição e os próximos tempos poderão revelar se a unidade de servidores da IBM é mesmo o alvo da operação.

Computers-and-Technology-005Depois de ter adquirido a unidade de PC da IBM em 2005, a fabricante asiática terá apresentado, no ano passado, uma proposta para a compra da unidade de servidores de baixa gama da marca norte-americana por 2,5 mil milhões de dólares, ou seja, 1,85 mil milhões de euros. A IBM terá recusado a oferta e elevou a parada para um valor que oscila entre os 4000 milhões e os 6000 milhões de dólares (2954 e 4430 milhões de euros).

Na sede da IBM as mais recentes notícias do interesse da Lenovo e da Dell na unidade de servidores não são comentadas. Estas duas empresas estão atualmente em fases de crescimento diferentes, mas terão propósitos semelhantes relativamente a uma eventual aquisição da unidade de servidores da IBM.

No caso da Lenovo, os especialistas lembram que a unidade de servidores de baixa gamada “Big Blue” pode abrir caminho à expansão para os segmentos de armazenamento e suporte às comunicações móveis. Já no caso da Dell, a possível aquisição da unidade de servidores da IBM pode servir de escapatória à inércia estratégica dos últimos anos.

Para IBM, o negócio também tem vantagens. Nos últimos trimestres, os lucros desta unidade têm ficado aquém do desejado e a venda poderá ser encarada como uma forma de garantir entrada de novo dinheiro.

Nos próximos dias já se saberá quem vai adquirir a unidade de servidores da IBM. Caso a compradora seja a Lenovo, esta ainda terá de convencer o Comité de Investimentos Estrangeiros dos Estados Unidos a aprovar o negócio.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor