União Europeia investiga empresas tecnológicas

e-RegulaçãoEmpresasInovaçãoInvestigaçãoLegalNegócios

A União Europeia está a investigar algumas empresas de tecnologia sobre possíveis acordos anticoncorrenciais sobre vendas online de produtos eletrónicos. Entre as empresas visitadas por funcionários europeus destacam-se a Samsung, a Philips e a Media-Saturn. A Comissão Europeia anunciou que as investigações começaram na passada semana em diversos países da União Europeia mas não revelou

A União Europeia está a investigar algumas empresas de tecnologia sobre possíveis acordos anticoncorrenciais sobre vendas online de produtos eletrónicos. Entre as empresas visitadas por funcionários europeus destacam-se a Samsung, a Philips e a Media-Saturn.

UE-1024x795A Comissão Europeia anunciou que as investigações começaram na passada semana em diversos países da União Europeia mas não revelou os nomes das empresas investigadas.

De acordo com um comunicado, “a Comissão tem razões para suspeitar que as empresas sujeitas às inspeções podem ter colocado restrições às vendas online de produtos eletrónicos de consumo e de pequenos aparelhos domésticos”. Essas empresas podem ter violado regras da concorrência europeia que proíbem acordos anticoncorrenciais.

A CE adiantou ainda que se estas restrições existem, podem levar a preços mais altos no consumo ou à indisponibilidade de produtos através de certos canais de vendas online. No entanto, uma autoridade da concorrência da Comissão recusou revelar quais são as restrições.

A Samsung, a Philips e a Media-Saturn reconheceu na passada sexta-feira a sua participação nas investigações, mas recusou comentar detalhes sobre o assunto. Já a Samsung, está a cooperar plenamente com a CE mas também se recusou a fazer comentários.

Segundo um porta-voz da Philips, a empresa foi visitada por funcionários da Comissão no início da semana passada e também está a cooperar plenamente no inquérito. Á semelhança das outras empresas, a Philips também não quis fazer mais comentários.

“Podemos confirmar que a Comissão visitou-nos a três de dezembro”, referiu um porta-voz da Media-Saturn num comunicado enviado por e-mail, acrescentando que a empresa está a cooperar plenamente com as autoridades oficiais.

No entanto, o facto de a Comissão estar a realizar estas investigações não significa que a empresa seja culpada de comportamento anticoncorrencial nem que prejudica os resultados da própria investigação. A CE adiantou ainda que para já não há um prazo definido para concluir a investigação.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor