ULisboa ganha quatro categorias do BES Inovação

EmpresasNegócios

A Universidade de Lisboa ganhou nas categorias “Grande Prémio”, “Tecnologias da Informação e Serviços”, “Recursos Naturais” e “Processos Industriais” do BES Inovação 2013. O Vice-Reitor da UL, Rogério Gaspar, classificou o momento como “um acaso merecido”, que ocorre quatro meses depois da criação da universidade, não deixando de recordar alguns indicadores da força científica da

A Universidade de Lisboa ganhou nas categorias “Grande Prémio”, “Tecnologias da Informação e Serviços”, “Recursos Naturais” e “Processos Industriais” do BES Inovação 2013.

Reitoria_da_Universidade_de_Lisboa_9270O Vice-Reitor da UL, Rogério Gaspar, classificou o momento como “um acaso merecido”, que ocorre quatro meses depois da criação da universidade, não deixando de recordar alguns indicadores da força científica da ULisboa, que resulta da fusão desta com a Universidade Técnica de Lisboa.

A UL garantiu recentemente 27 por cento dos lugares de investigador e 24 por cento dos projetos de investigação apoiados pela FCT.

Rogério Gaspar acredita que grande parte do futuro passa pela interdisciplinaridade entre as 80 unidades de investigação e destaca um projeto de investigação que conseguiu juntar INESC-ID, a Faculdade de Letras e a Faculdade de Medicina, e o Hospital de Santa Maria no desenvolvimento de ferramentas que facilitam a recuperação da fala em doentes. “É esse o espírito que pretendemos manter, gerar novo conhecimento científico, ser capaz de projetar o desenvolvimento de novas tecnologias, ao serviço da sociedade e com impacto nas pessoas quando individualmente consideradas”, afirma o Vice-Reitor.

O “Grande Prémio” foi atribuído ao projeto “Vacinação eficaz contra a malária”, do Instituto de Medicina Molecular, que contempla o desenvolvimento de uma modificação genética de parasitas que causam a malária em roedores.

Na categoria de Tecnologias da Informação, o prémio foi entregue a investigadores da Faculdade de Ciências da ULisboa pelo projeto “bioM – Wearable Gesture Recognition”, onde os investigadores da ULisboa criaram uma banda elástica que permite controlar por gestos consolas, smartphones, tablets, televisores e robots através de gestos de um dos braços.

O “Screen Wood”, um projeto do Instituto Superior de Agronomia, ganhou a categoria de Recursos Naturais, pelo desenvolvimento de uma solução de raio-x que facilita a deteção de fungos infeciosos.

Por fim, na categoria dos processos industriais, o prémio foi entregue a uma equipa de investigadores do Instituto Superior Técnico, que desenvolveu um supercondensador, que se distingue pelo uso de materiais não poluentes e por superar largamente a capacidade de armazenamento de energia dos modelos que já existem no mercado. O projeto tem o título de “Charge2Charge”.

Atualmente, a Universidade de Lisboa é a maior do país e a segunda maior da Península Ibérica, garantindo um terço do financiamento em ciência e tecnologia e representando cerca de 40 por cento do financiamento de projetos europeus com participação portuguesa.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor