UE está preocupada com a segurança do Windows 10

EscritórioSistemas Operativos
0 0 Sem Comentários

As autoridades de proteção de dados da União Europeia admitem que o sistema operativo da Microsoft põe em causa as definições de privacidade.

O cenário mundial dos ataques cibernéticos é cada vez mais preocupante e as entidades europeias estão focadas em resolver esta crise iminente. Apesar da Microsoft ter feito algumas atualizações nas definições do sistema, as autoridades de proteção de dados da União Europeia estão preocupadas com a preservação da privacidade dos conteúdos informáticos. 

O sistema operativo da gigante norte americana foi lançado em Julho de 2015 e, desde então, tem sido alvo de crítica por parte dos utilizadores. Em parte devido às definições-padrão relativamente à aglomeração de user-data, através do histórico da Web ou as definições Wi-fi para fins publicitários.

Para além disso, a user-data é acumulada no assistente digital da Microsoft, o Cortana. O processo de recolha de informação tem sido criticado desde o lançamento do sistema operativo. A empresa de informática disponibilizou aos utilizadores um painel de controlo para retificar as definições de privacidade nos diferentes serviços da Microsoft, incluindo localização e histórico dos motores de busca.

Em Maio de 2018,  está prevista a entrada da “General Data Protection Regulation”, que visa aplicar sanções para empresas que não cumpram a nova lei de proteção de dados.  

Segundo o site TechCrunch, a tecnológica de Redmond  indicou que está atenta à situação e a colaborar com as autoridades europeias, tendo reafirmado o seu comprometimento em respeitar as políticas da EU.