Uber vira-se para o Oriente com ambições de conquista

AppsEmpresasMobilidadeNegócios

A Uber espera angariar mil milhões de dólares numa ronda de investimentos que lhe permitirá fortalecer as suas operações na China. Numa altura em que sofre inúmeros ataques por todo o mundo, a empresa norte-americana vê o mercado chinês com olhos ambiciosos.

O investimento poderá valer à Uber China uma avaliação entre os sete e os oito milhões de dólares, de acordo com informações avançadas por fontes anónimas à Bloomberg. Em meados de junho, o diretor executivo Travis Kalanick revelou que a China encimava a lista de prioridades da empresa e que tencionava investir, este ano, mais de mil milhões de dólares no país, que alberga o maior mercado de smartphones do mundo.

O motor de busca chinês Baidu, que é já um dos investidores da Uber, tem planos para adquirir uma nova participação no negócio local, segundo as fontes.

Kalanick afirmou que, no mês passado, as receitas da Uber na China duplicaram, registando-se perto de um milhão de viagens efetuadas por dia.

Apesar do desenvolvimento do serviço digital de transportes californiano na potência asiática, um incêndio começa a deflagrar no mercado chinês e a competição adensa-se. A Didi Kuaidi, a congénere chinesa da Uber e líder do setor local, disse ontem que conseguiu embolsar dois mil milhões de dólares numa ronda de investimentos, que poderá ter catapultado o valor da empresa para a casa dos 15 mil milhões de dólares, embora este valor não tenha sido confirmado pela Didi Kuaidi.

O presidente da empresa chinesa disse que o foco continuaria a incidir intensamente sobre a China, oque leva a crer que o fortalecimento da Uber neste mercado dará início a uma contenda acérrima entre nativo e forasteiro. Pequim já deu provas de não ser o maior fã das empresas estrangeiras que procuram deitar a mão ao mercado chinês, mas considerando que a Uber conta com o apoio da Baidu, talvez a sua demanda seja bem-sucedida.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor