Twitter lança novas ferramentas de combate ao abuso online

e-MarketingRedes Sociais
0 0 Sem Comentários

Com o intuito de proporcionar ao utilizador maior autonomia sobre a sua experiência na plataforma, o Twitter anunciou melhorias em três áreas: controles, formas de denúncia e aplicação das regras. O combate ao abuso online é um dos seus principais objetivos.

Uma das novas funcionalidades possibilitará que palavras, frases, nomes de utilizadores, emojis e hashtags indesejadas não apareçam mais nas notificações recebidas pelo utilizador. Com a ativação do recurso nas configurações de notificações, tweets com os termos silenciados deixarão de ser notificados. Além disso, o Twitter passará a permitir que o utilizador deixe de ser avisado sobre novos tweets de uma conversa específica, ativando esta opção diretamente a partir de um tweet referente à conversa indesejada.

Foram implementadas também mudanças na política relacionada à conduta de ódio na plataforma. O usuário tem agora uma maneira mais direta de comunicar comportamentos abusivos em relação a si mesmo ou a terceiros. Isso vai melhorar a capacidade do Twitter de processar essas denúncias, o que ajuda a reduzir a pressão sobre a vítima do abuso, e fortalecer uma cultura de apoio coletivo na plataforma.

Com o objetivo de proporcionar um processo mais rápido e transparente, o Twitter também aprimorou as ferramentas e os sistemas internos para agir de forma mais efetiva quando for reportado um comportamento que viola as regras de uso da plataforma.

“A quantidade de abuso, bullying e assédio que temos visto na internet como um todo tem crescido de forma acentuada nos últimos anos. Esse comportamento inibe as pessoas de interagir no Twitter ou em qualquer outra plataforma”, escreve a equipe da rede social numa publicação de blogue. “A conduta abusiva tira a oportunidade de ver e partilhar todas as perspectivas em relação a um assunto, o que acreditamos ser fundamental para avançar coletivamente. Nos piores casos, este tipo de conduta ameaça a dignidade humana, um valor que devemos proteger em conjunto.”

O abuso online é um dos principais entraves ao crescimento da base de utilizadores do Twitter, que estagnou nos cerca de 320 milhões. É verdade que isso também acontece nas redes rivais, como Facebook e Instagram, mas no caso da empresa de Mark Zuckerberg, os utilizadores costumam construir as suas redes com base em pessoas do seu gráfico social real. O Twitter é o oposto: convida a seguir e ser seguido por desconhecidos, sem qualquer obrigação de colocar uma foto e nome real em seu perfil.

“Como o Twitter é uma plataforma pública e em tempo real, temos tido alguns desafios para conter a conduta abusiva”, admite a empresa. “Demos um passo para trás para ter uma nova abordagem em relação ao tema, detectar as necessidades mais críticas e melhorar rapidamente.”

As novas ferramentas, espera a rede social, irão dar ao utilizador maior controle sobre a sua experiência na rede, talvez fazendo aumentar o tempo passado dentro do Twitter.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor