Trabalhadores chineses da Nokia continuam greve

EmpresasNegócios

Os trabalhadores em greve da fábrica da Nokia no sul da China, ameaçaram aumentar a sua ação depois de a empresa ter terminado o contrato com 59 empregados por terem falhado o regresso ao trabalho. Na terça-feira, centenas de empregados pararam de trabalhar, queixando-se das mudanças nos seus contratos depois da venda da unidade de

Os trabalhadores em greve da fábrica da Nokia no sul da China, ameaçaram aumentar a sua ação depois de a empresa ter terminado o contrato com 59 empregados por terem falhado o regresso ao trabalho.

china-nokia-worker-strike-nov-2013Na terça-feira, centenas de empregados pararam de trabalhar, queixando-se das mudanças nos seus contratos depois da venda da unidade de telemóveis da empresa finlandesa à Nokia. Na sexta, centenas de protestantes aglomeraram-se fora da fábrica com cartazes que diziam “se queres mudar o casamento, tens de primeiro oferecer uma compensação”.

Mais de uma dúzia de carros da polícia estavam estacionados no parque da empresa e a polícia de intervenção montou guarda com cães, segundo um trabalhador. Os empregados em protesto disseram que tinham violado regulamentos de trabalho porque se recusaram em voltar ao trabalho.

Um trabalhador afirmou que “não têm direito para nos despedir”, acrescentando que estava determinado continuar a greve. “Nós já escolhemos esta estrada para caminhar, vamo-nos manter fiéis a isso”.

Doug Dawson, representante da Nokia, declara que manteve várias sessões com os seus empregados nos últimos dias “para explicar a situação e acabar com vários rumores e anúncios falsos”. Dawson acrescentou que terminou o contrato de 59 pessoas “que escolheram não voltar aos seus trabalhos”, acrescentando, ainda, que a vasta maioria dos cinco mil trabalhadores estão a trabalhar e a continuar as suas operações.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor