Terra Peregrin pode vir a desistir de OPA à PT SGPS

NegóciosOperadoresProjetosRedesService-Provider

A informação é avançada pelo Económico e a decisão de Isabel dos Santos deve ser comunicada ainda hoje à CMVM. Apesar disso, o projeto de consolidação ainda não está totalmente fora de horizonte. O desfecho da OPA à PT SGPS pode não correr de feição para a Terra Peregrin. Em comunicado feito ontem, a CMVM

A informação é avançada pelo Económico e a decisão de Isabel dos Santos deve ser comunicada ainda hoje à CMVM. Apesar disso, o projeto de consolidação ainda não está totalmente fora de horizonte.

Isabel dos Santos Oi PT

O desfecho da OPA à PT SGPS pode não correr de feição para a Terra Peregrin. Em comunicado feito ontem, a CMVM derrubou as expetativas da empresária angolana e rejeitou o requerimento, que pedia que não fosse aplicado o critério médio ponderado na OPA, que faz uma média do valor dos títulos durante os últimos seis meses.

A empresária oferecia 1,35 euros por ação. No entanto, com a decisão da CMVM, seria obrigada a aumentar o preço. Ou seja, a contrapartida subiria de 1,35 euros para 1,94 euros, um aumento total de investimento de mais 529 milhões de euros. No total, caso aumente o preço, a OPA à PT SGPS atinge valores de 1,7 mil milhões de euros.

Mesmo que Isabel dos Santos venha a retirar a OPA, parece não estar disposta a desistir do projeto de consolidação, que passa também pelo Brasil.

As ações da Portugal Telecom estão em alta hoje no PSI 20, ainda que registem um valor abaixo dos 1,35 euros oferecido na OPA.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor