Tencent lança SO para Internet das Coisas

MobilidadeSoftware

A Tencent acaba de lançar um novo sistema operativo que espera vir a ser o seu estandarte na esfera da Internet das Coisas. Com este ecossistema aberto a todos os programadores, a empresa chinesa quer ganhar força para batalhar com as suas rivais conterrâneas, como a Xiaomi e a Alibaba, no mercado dos equipamento conectados.

A Tencent acaba de lançar um novo sistema operativo que espera vir a ser o seu estandarte na esfera da Internet das Coisas. Com este ecossistema aberto a todos os programadores, a empresa chinesa quer ganhar força para batalhar com as suas rivais conterrâneas, como a Xiaomi e a Alibaba, no mercado dos equipamento conectados.

INTERNET-DAS-COISAS

O TOS+ é a materialização dos esforços da tecnológica de Shenzhen para conquistar um lugar à mesa das grandes empresas asiáticas no campo da Internet das Coisas, ou IoT (Internet of Things). Nestes sistemas, fabricantes e programadores podem criar aplicações sem qualquer entrave, desde que, à partida, acordem com um modelo de partilha de receitas.

Diz a Reuters que a Tencent está a adotar uma abordagem significativamente semelhante à da Google com o seu sistema Android. É inegável o sucesso que o sistema operativo móvel da gigante de Mountain View teve, arrebatando para si o galardão de maior SO no campo dos smartphones. Contudo, a competição no setor chinês é renhida, com as tecnológicas a combaterem entre si pelo trono do maior mercado de smartphones, e o que foi uma boa tática para a Google poderá não surtir os mesmos efeitos quando aplicada pela Tencent.

Não obstante, a empresa já provou ser uma força temerária no meio mobile. Com a sua grandemente popular aplicação móvel de mensagens instantâneas WeChat, a Tencent é já a maior rede social da China. Através da app, os utilizadores podem efetuar compras ou até mesmo chamar um táxi.

Tanto a Alibaba, como a Xiaomi e, agora, a Tencent já começaram a desbravar o território dos dispositivos conectados, e querem oferecer aos utilizadores chineses os serviços que o Android da Google não consegue. Muitas funcionalidades deste sistema operativo não estão disponíveis na China, maioritariamente devido à aversão que o governo de Pequim tem a empresas tecnológicas estrangeiras, sendo que pelas do Ocidente (Estados Unidos da América, mais concretamente) nutre uma desconfiança “especial”, acusando-as de veicularem a discórdia nas suas ideologias neoliberais.

A Tencent, segundo a agência noticiosa, disse que o seu TOS+ incidirá sobre televisões e relógios, bem como óculos de realidade virtual.


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor