Telebras e IslaLink querem ligar a América Latina à Europa com cabo submarino

EmpresasNegóciosProjetosSetor Público

A estatal brasileira do setor de telecomunicações assinou ontem um novo acordo com a espanhola IslaLink, especialista em infraestrutura de redes submarina.

A iniciativa pretende desenvolver e implementar um novo cabo submarino que ligue a América do Sul à Europa, sendo operado por ambas as regiões. O cabo terá mais de 30 terabits por segundo (Tbps) de capacidade e exigirá um investimento da ordem de 185 milhões de dólares.A Telebras terá 35% de participação no projeto, que será tocado por meio de uma joint venture. Já a IslaLink fica com mais 45% do negócio. Os 20% restantes serão de propriedade de um terceiro acionista brasileiro, que ainda não foi definido.

O cabo terá quase 6 mil quilómetros de extensão e sairá da cidade brasileira de Fortaleza para aportar em Portugal, nas cidades de Seixal ou Lisboa, o que também ainda não está definido. A previsão é de que a implementação do projeto seja concluída até o início de 2018.

Após a assinatura do acordo, o ministro das Comunicações do Brasil, Ricardo Berzoini, afirmou, durante uma conferência de imprensa, que um dos objetivos da estrutura é aumentar a segurança no transporte de dados entre os dois continentes. “A legislação europeia sobre dados é bastante importante para assegurar a proteção de informações de maneira ampla”.

Segundo o presidente da Telebras, Jorge Bittar, os investimentos iniciais da empresa no projeto terão como fonte alguns aportes do Tesouro Nacional. Ele assegurou que os recursos não serão limitados, “pois o projeto é prioritário para a presidente Dilma Rousseff”.

*Amauri Vargas é jornalista da B!T no Brasil


Clique para ler a bio do autor  Clique para fechar a bio do autor